terça-feira, 29 de agosto de 2017

Sr. Braga Coelho, Cadê o CVT Espacial?

Olá leitor!

Faço aqui essa nota não como o Duda Falcão autor do Blog BRAZILIAN SPACE, e sim como o cidadão brasileiro Eduardo Falcão, insatisfeito com o desenrolar de um dos poucos projetos relevantes de nossa Agencia Espacial de Brinquedo (AEB) na gestão desastrosa deste fantoche do Sr. Braga Coelho, ou seja, o projeto educacional CVT Espacial.

A Estagiária Elisa Gonçalves da AEB junto a Maquete do CVT Espacial.

Em contato via e-mail com o Diretor de Satélites e Desenvolvimento da AEB, o Dr. Carlos Gurgel, fui informado pelo mesmo no dia 13/07 de que o projeto físico e pedagógico desta iniciativa já se encontrava concluído há algum tempo, e que agora a sua equipe estava trabalhando na fase de estruturação dos apoios institucionais para a operação do mesmo.

Ainda segundo o diretor da AEB, o Grupo de Mecatrônica do IFRN - Instituto Federal do Rio Grande do Norte (locado em Parnamirim) será quem irá coordenar conjuntamente com a AEB a operação do CVT, e completou dizendo: “Estes acordos tomam meses e meses para serem assinados, mas já estamos concluindo tudo”.

Informações chegadas ao Blog originadas dos bastidores da agencia no dia de hoje dão conta realmente de que as coisas parecem estar andando como veremos a seguir, porem isto não invalida a falta de atitude durante vários meses do presidente desta agencia de brinquedo quando manteve este projeto sob a coordenação de um incompetente (que foi demitido e a agora foi desfilar sua incompetência pelos lados do MCTIC, Deus nos acuda), incompetência esta até mesmo reconhecida pelos seus próprios colegas da agencia (só mesmo este presidente banana não sabia disso), e o resultado disso tudo não poderia ser outro, ou seja, a parte burocrática do projeto ficou parada durante esse tempo todo até que esse banana tomasse providenciais.

Segundo fui informado esta manhã uma das providencias tomadas foi à nomeação (já há algum tempo) do competente Marco Antônio Rezende (ex-diretor do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno-CLBI) para a unidade da AEB no CLBI, tendo como uma de suas funções cuidar desta Base educacional do CVT Espacial, boa sorte para ele.

Uma outra mudança a ser feita e ainda não concretizada está justamente na coordenação deste projeto, mudança esta que deverá ocorrer em breve com a nomeação de um profissional que espero tenha competência, dinamismo, seriedade e comprometimento com a sua função. Porém leitor, mesmo que isso ocorra, não há como esquecer de que o barco continuará infelizmente sob o comando de um banana.

Cansada de esperar o desenrolar desta novela de incompetência protagonizada pela AEB, fiquei sabendo de que a Comunidade de Espaçomodelismo e Foguetemodelismo do país, esta formada por gente séria, competente e comprometida, vem se mobilizando para encontrar uma solução alternativa para esta questão, e o Blog BRAZILIAN SPACE não tem a menor dúvida de que em breve eles encontrarão, aguardem pelos próximos capítulos.

Para aqueles leitores que ainda não sabem o que é o CVT Espacial, vale esclarecer que o mesmo é uma estrutura já construída dentro do CLBI (fisicamente pronta e só não inaugurada devido à incompetência da própria agencia) que permitirá a simulação de missões espaciais direcionadas ao ensino fundamental, médio, e também ao ensino superior. Estrutura esta que possui:

> Unidade para Integração e Teste de CanSat (nos chamamos de SimulaSat);

> Unidade para Integração do veiculo lançador de SimulaSat (VLS-Sat); 

> Unidade de integração de SimulaSat no VLS-Sat;

> Centro de Controle de Missão;

> Um espaço que imita o solo Lunar e de Marte para simulação de atividades de exploração extraterrestre, com Rovers operando com energia solar;

> Uma bancada de propulsão hibrida para estudos de propulsão;

> telescópios;

> 3 drones para aulas de sensoriamento remoto e para auxiliar na busca do SimulaSat; e

> Sala de convenções, dormitório e refeitório para 40 pessoas.

Além disso, todas as unidade da estrutura contarão com câmeras GoPro para assim filmar os estudantes em atividades.

Em outras palavras leitor, uma fantástica estrutura educacional (ainda piloto segundo a própria agencia – nesta velocidade quando será construída a sua segunda unidade, em 2100?) direcionada a área espacial de fundamental importância para formação desde o ensino fundamental de novos profissionais para o setor, mas que infelizmente patina na incompetência de uma agencia que há décadas brinca de fazer programa espacial.

Eduardo Falcão

4 comentários:

  1. Duda, o Rio Grande do Norte (RN) possuirá uma estrutura magnífica para a educação tecnológica espacial. Assim, quem sabe, sai aquela competição de CanSat que a AEB chegou a divulgar anos atrás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Prof. Brehme!

      Na verdade é isso que eu espero, mas para tanto essa Agência de Brinquedo terá de tirar este projeto do papel. Caso isso aconteça, me parece que este será um passo natural, mesmo que a incompetência permaneça na operacionalização desta base do CVT Espacial.

      ABS

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Boa noite, Sr Eduardo. Por gentileza me passe um e-mail para que eu possa entrar em contato. Obrigada,
    Elisa Gonçalves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Sra Elisa!

      O e-mail é de conhecimento público e consta registrado na coluna da esquerda no blog. Porem facilitando para senhora brazilianspace@gmail.com

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir