sexta-feira, 9 de junho de 2017

Pesquisador do IEAV/DCTA Realiza Testes em Acelerador de Partículas do CERN

Olá leitor!

Veja abaixo uma nota postada hoje (09/06) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que Pesquisador do IEAV/DCTA realizou testes em acelerador de partículas do CERN.

Duda Falcão

TECNOLOGIA

Pesquisador do IEAV/DCTA Realiza Testes
em Acelerador de Partículas do CERN

A análise foi realizada na Suíça

Por Tenente Felipe Bueno
Edição: Agência Força Aérea
Fonte: IEAV
Publicado: 09/06/2017 10:35h

Fotos dos arranjos sendo testados no feixe de nêutrons de alta energia.

O pesquisador Claudio Federico, do Instituto de Estudos Avançados/Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (IEAV/DCTA), participou da bateria de testes, no mês de maio, no CERN (Organização Europeia de Pesquisa Nuclear), laboratório multinacional localizado na Suíça que abriga o LHC (Large Hadron Collider), maior acelerador de partículas do planeta.

O objetivo do experimento, que avaliou três diferentes tecnologias de memórias SRAM em um feixe de nêutrons de alta energia, é testar como as radiações de origem cósmica afetam a segurança de dispositivos eletrônicos dentro de aeronaves.

No teste, o feixe utilizado reproduz a faixa de energia de nêutrons presentes em grande quantidade em altitudes de voo e que são responsáveis por falhas de componentes e acidentes já relatados na literatura.

O estudo faz parte dos projetos ERISA (Efeitos das Radiações Ionizantes em Sistemas Aeronáuticos) e RCMA (Medidas dos efeitos da Radiação Cósmica em Memórias embarcadas em equipamentos Aviônicos), do IEAV/DCTA, e do projeto CITAR (Componentes Integrados Tolerantes à Radiação) do qual o IEAV é coexecutor e conta com a colaboração de instituições nacionais e internacionais, como a Universidade de Sevilha, na Espanha.

Claudio Federico ressaltou a importância da pesquisa no cenário tecnológico contemporâneo. “Com a contínua evolução tecnológica, os sistemas eletrônicos estão se tornando cada vez mais sensíveis à radiação ionizante de origem cósmica, de forma que qualquer nação que ambicione operar sistemas de alta tecnologia em altas altitudes ou no espaço deverá se preparar para esta realidade inevitável”, afirmou o pesquisador.

O IEAV/DCTA possui hoje infraestrutura e um grupo de pesquisa atuante nessa linha de pesquisa, contando com o Laboratório de Dosimetria Aeroespacial (LDA) e o Laboratório de Radiações Ionizantes (LRI).


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário