terça-feira, 17 de março de 2015

Brasileira Descobre Material "Além da Nossa Imaginação"

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (17/01) no site “Inovação Tecnológica” destacando que pesquisadora brasileira descobre material “Além da Nossa Imaginação”.

Duda Falcão

MATERIAIS AVANÇADOS

Brasileira Descobre Material
"Além da Nossa Imaginação"

Redação do Site Inovação Tecnológica
17/03/2015

[Imagem: W. Beugeling et al. - 10.1038/ncomms7316]

Cálice Sagrado dos Materiais

Uma pesquisadora brasileira, atualmente professora da Universidade de Utrecht, na Holanda, está por trás daquela que pode ser uma das maiores descobertas recentes no campo da ciência dos materiais.

Cristiane Morais Smith e seus colegas projetaram um material que combina as propriedades eletrônicas excepcionais do grafeno com as exatas capacidades que faltam ao grafeno em temperatura ambiente e que poderiam permitir seu uso em uma nova geração de equipamentos eletrônicos.

"Se conseguirmos sintetizar esse 'cálice sagrado' dos materiais e ele apresentar as propriedades calculadas teoricamente, vai-se abrir um novo campo de pesquisas e aplicações muito além da nossa imaginação," disse Cristiane.

Melhor que Grafeno

O grafeno, que já dispensa apresentações, é uma forma de carbono na qual os átomos são conectados em uma estrutura parecida com favos de mel.

Esse novo "cálice sagrado" dos materiais tem a mesma estrutura, mas é formado por nanocristais de mercúrio e telúrio - tecnicamente ele é um telurato de mercúrio.

Os cálculos da equipe mostram que esse material tem as propriedades eletrônicas do grafeno, mas é um semicondutor a temperatura ambiente, o que permite que ele seja usado como um transístor - justamente a grande dificuldade para que a tecnologia atual usufrua dos muitos benefícios do grafeno.

Mais do que isso, o novo material preenche todos os requisitos necessários para a spintrônica, que une processamento e memória no mesmo componente, porque ele apresenta o efeito chamado "Hall de spin" a temperatura ambiente. Esse efeito está sendo usado, em temperaturas ainda muito baixas, tanto em spintrônica, quanto em computação quântica. O grafeno não apresenta o efeito Hall de spin nem mesmo em temperaturas criogênicas.

A expectativa da equipe é que os experimentalistas agora consigam seguir sua receita e sintetizar o novo telurato de mercúrio para que suas propriedades possam ser aferidas na prática.

Bibliografia:

Topological states in multi-orbital ?HgTe honeycomb lattices
W. Beugeling, E. Kalesaki, C. Delerue, Y.-M. Niquet, D. Vanmaekelbergh, C. Morais Smith
Nature Communications
Vol.: 6, Article number: 6316
DOI: 10.1038/ncomms7316


Fonte: Site Inovação Tecnológica - http://www.inovacaotecnologica.com.br/

Comentário: Pois é leitor, se vivêssemos num país sério, numa sociedade realmente organizada e comprometida com o futuro, esta pesquisadora não teria de deixar o país, sua família, seus amigos, seu povo em busca de melhores condições de trabalho em sua área. A questão aqui não é falta de bons profissionais, nem a falta de recursos, a questão aqui é a falta de vergonha na cara, a falta de vontade de se construir uma nação de verdade, pois isto leitor, só se faz com compromisso, com seriedade, com a mobilização de todos em busca do bem comum e não como ter sido feito. Neste caso esta aí o resultado, vivemos num Território de Piratas. O Blog BRAZILIAN SPACE parabeniza a pesquisadora Cristiane Morais Smith e ao seu grupo pela conquista alcançada.

2 comentários:

  1. Olá Jonas!

    Se bem me lembro já lhe disse o meu nome, mais você insiste de me taxar com pseudônimos. Pois então, enquanto isto perdurar seu espaço no Blog BRAZILIAN SPACE será negado.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  2. Se não for para criar uma bola de futebol cujo produtor final supera as espectativas do jogadores...se não for para criar um super material que será usado em um modernisso estádio da copa...se não for para criar uma super vitamina que melhorará o desempenho do Neymar em 90% nos aproveitamentos de chute a gol...então não perca tempo fazendo pesquisa no Brasil...VÁ PRA FORA DO PAÍS, seu trabalho será melhor reconhecido !

    ResponderExcluir