terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Agência Espacial Brasileira Completa 21 Anos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (10/02) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que no dia de hoje a Agência completou 21 anos de fundada.

Duda Falcão

Agência Espacial Brasileira Completa 21 Anos

CCS-AEB


Brasília, 10 de fevereiro de 2015 – Criada em 10 de fevereiro de 1994, a Agência Espacial Brasileira (AEB) completa hoje (10) seus 21 anos de atividade. Entre os feitos relevantes neste período se ressaltam o bem sucedido programa de satélites de sensoriamento remoto, o Cbers, realizado em parceria com a China, que colocou em órbita o quinto exemplar da série em dezembro último, e o apoio ao programa de satélites de pequeno porte, este já com dois nanossatélites no espaço.

A Agência também comemora a realização no final de 2014 de seu primeiro concurso público, cujo primeiro grupo de aprovados começam a desempenhar suas atividades neste primeiro semestre.

Autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a AEB objetiva promover, formular e coordenar a política de desenvolvimento das atividades espaciais. Sob a administração geral da Agência, o Programa Espacial Brasileiro, conforme definido pelo Sistema Nacional de Atividades Espaciais (SINDAE), tem a participação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), responsável pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), pelo centros de lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal (RN), e de Alcântara (CLA), no Maranhão.

Para desenvolver e divulgar as atividades espaciais a Agência tem os programas de Microgravidade, o Uniespaço e o AEB Escola.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom na realidade na há nada que se comemorar, muito pelo contrário. O desempenho da AEB em 21 anos de gestão foi extremamente pífio (vergonhoso), se compararmos com outras agências espaciais do mundo, principalmente nos últimos dez anos e principalmente neste momento onde tem a sua frente um presidente mais preocupado em manter seu emprego e de apoiar os desmandos de sua mentora do que realmente trabalhar em prol do nosso programa espacial. Mais um zero a esquerda que se pelo menos tivesse dignidade entregava o cargo.  E a coisa vai piorar em 2015. As noticias que chegam do SJC são o fim da picada e se confirmadas forem não só atingirão mortalmente projetos importantes em curso, como também jogarão o PEB em um 'mar de lama', mais um souvenir que ficará após este desastroso governo da “Ogra”. É como disse o blogueiro Rachel Sherazade  em seu blog:  "No Brasil o fundo do poço tem subsolo".

2 comentários:

  1. AEB - cabide de empregos!
    Politicagem!

    O CBERS não é o sucesso que pregam!
    Mas é a única coisa que o Brasil tem para citar!
    E ele já era e é tocado sem a mímina ajuda e/ou necessidade da AEB.
    A AEB em nada contribui. Estão pegando carona por conveniência!
    Só aparecem na hora de fotos e de viagens!
    O CBERS é mais um "produto chinês" do que brasileiro!
    E se alguma instituição brasileira deve ser citada, esta é o INPE!

    A AEB não conseguiu produzir nada de relevante, mais fracassos e descasos.
    A AEB é sim responsável pelo contrato AEB14/2001 relativo à PMM e este é um completo fracasso!
    Perguntem à AEB onde está a PCDU da Mectron, o TTC da Mectron, etc...
    Porque este contrato teve mais de 14 aditivos e quase nada produziu.
    Porque estão pensando em comprar uma outra PCDU de empresas internacionais (provavelmente Thales) e esquecerem todo o dinheiro e tempo gasto com a Mectron, empurrarem para baixo do tapete!

    E tem muito mais!
    É só levantarem o cabrito!
    Sugestão: SGDC.

    ResponderExcluir
  2. Gastaram uma grana para antecipar o lançamento do CBERS 4 e não estamos prontos para processarmos as imagens deste satélite!

    ResponderExcluir