quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

IAE Realiza Campanha de Ensaio de Queima do Motor Foguete Híbrido - H1

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (17/12) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) destacando que o instituto realizou Campanha de Ensaio de Queima do Motor Foguete Híbrido - H1.

Duda Falcão

IAE Realiza Campanha de Ensaio de
Queima do Motor Foguete Híbrido - H1

Publicada em 17/12/2014 10:22
Atualizada em 17/12/2014 13:27


O Instituto de Aeronáutica e Espaço realizou, no período de 17 a 25 de novembro, catorze ensaios de queima do motor foguete a propulsão híbrida (H1) no banco de ensaios do Laboratório de Propulsão Líquida da Divisão de Propulsão Espacial (APE). Esta segunda campanha testou o desempenho de diferentes combustíveis como a parafina, o HTPB e a cera apícola, todos combinados com o oxigênio gasoso. O desempenho do motor foguete H1 foi considerado satisfatório, pois validou o projeto dos sistemas de injeção e ignição modificados em consonância com os requisitos de funcionamento do motor, e ratificou os parâmetros propulsivos mais importantes como vazão mássica dos propelentes, pressão na câmara de combustão, empuxo e velocidade característica do propelente.

Objetivos:

O motor H1 tem entre os principais objetivos a capacitação do IAE no desenvolvimento da tecnologia de propulsão híbrida e o treinamento da equipe responsável pelos ensaios do Laboratório de Propulsão Líquida. O projeto tem como objetivos secundários desenvolver e testar tecnologias ou componentes como injetores, proteções térmicas, combustíveis não tóxicos e não poluentes e ignitores pirotécnicos, além de fomentar a formação acadêmica dos bolsistas PIBIC/IAE e doutorandos do ITA.

Descrição:

O princípio de funcionamento do motor híbrido se baseia na injeção de oxigênio gasoso no interior da câmara de combustão, onde se encontra o combustível sólido. O processo de combustão é iniciado por ignitores pirotécnicos gerando pressões da ordem de 15 bar e empuxo de 1 kN. O vídeo resume as atividades que marcaram esta segunda campanha de ensaios do motor H1.

Apoio:

O projeto é apoiado financeiramente pela ação transversal MCT/CNPq/AEB nº 33/2010 - Formação, Qualificação e Capacitação de RH em Áreas Estratégicas do Setor Espacial, no valor de R$ 216.000,00, aplicados na aquisição de insumos e componentes do motor e para equipar o bancos de teste da APE com sistema de linha de fogo, sensores e válvulas, além de permitir a contratação de bolsistas de desenvolvimento tecnológico.

No IAE a campanha contou com a colaboração da Divisão de Química, parceira no projeto, responsável pelo desenvolvimento de processos de manufatura dos combustíveis, carregamento e integração dos blocos ao tubo motor e montagem da tubeira de grafite; da Divisão de Mecânica, responsável pela usinagem de diferentes componentes do motor H1 e da Divisão de Integração e Ensaios, responsável pelo monitoramento das temperaturas na tubeira através de câmera térmica e pelos registros em vídeo dos ensaios. Na Divisão de Propulsão Espacial a APE-X, desenvolveu o sistema pirotécnico, executando o carregamento, instalação dos ignitores e operação da linha de fogo; o grupo do projeto L75 apoiou tecnicamente o projeto e a campanha do motor H1 e finalmente a APE-E que geriu e disponibilizou seus recursos humanos e infraestrutura de testes para a realização dos ensaios em banco com a supervisão da Coordenadoria de Segurança, DIR-CS.



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Pois é eleitor, quando nos chega uma notícia como essa, reacende a nossa esperança de que tudo vai mudar, e de que a “Ogra” finalmente irá apoiar o Programa Espacial Brasileiro como um todo, não só financeiramente, mais desburocratizando o setor, transformando a Política Espacial inexistente numa verdadeira política de estado, incentivando a criação de novas empresas com investimento no setor e na área educacional correlata, estabelecendo metas e demandas factíveis e apoiando-as incondicionalmente, e principalmente cobrando por resultados, ou seja, fazer o que deveria ter sido realizado desde o governo do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Em outras palavras, ter ‘COMPROMISSO’ e responsabilidade com este programa tão importante para o futuro de nosso país. Mas infelizmente para nós não estamos falando de uma estadista e sim da DILMA ROUSSEFF, uma debiloide populista e irresponsável. Ai fica a pergunta, será que a capacitação que o IAE está agora realizando nessa área de Propulsão Híbrida será um dia efetivamente utilizada no PEB, ou toda essa iniciativa acabará como acabou o projeto do Motor-Líquido L15 (só para citar um exemplo)?

Nenhum comentário:

Postar um comentário