sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Escola Pública de SJC Incentiva Paixão Pela Ciência

Olá leitor!

Segue abaixo uma reportagem sobre a participação da Escola Estadual “Nélson Monteiro”, de São José dos Campos (SP) na “8ª Mostra Brasileira de Foguetes”, publicada na Edição de Nº 33 (Dezembro) do Jornal do SincdCT.

Duda Falcão

EDUCAÇÃO E CULTURA

Escola Pública Incentiva Paixão Pela Ciência

Jornada Nacional de Foguetes

Fernanda Soares
Jornal do SindCT
Edição nº 33
Dezembro de 2014


Uma equipe de alunos e professores da Escola Estadual “Nélson Monteiro”, de São José dos Campos, participa pela primeira vez da Mostra Brasileira de Foguetes, realizada em Barra do Piraí (RJ), e conquista resultados animadores.

Alunos do segundo ano e do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual de Tempo Integral “Nélson do Nascimento Monteiro”, de São José dos Campos, participaram pela primeira vez de uma competição nacional: a 6ª Jornada Nacional de Foguetes, organizada pela 8ª Mostra Brasileira de Foguetes, ou MobFog.

A ideia de competir na mostra partiu da aluna Lara Navarro, que já no início do ano apresentou um projeto de criação de foguetes com garrafas PET. “O que mais me motivou foi o meu projeto de vida. Eu quero ser pesquisadora e por isso quero ter algumas experiências antes de me tornar realmente uma pesquisadora. Esse era para ser o meu projeto da feira de ciências no primeiro ano, mas acabou se tornando meu trabalho científico no segundo”, conta Lara.

Foi por intermédio da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), da qual a escola já participava, que surgiu a oportunidade. O projeto envolveu todas as disciplinas de ciência da natureza e também a professora de história, Zuleika Sabino Roque, membro da comissão de educação da Associação Aeroespacial Brasileira (AAB).

Zuleika se encarregou de fazer alguns contatos na AAB e levou para a escola pesquisadores do INPE e DCTA, que deram orientações e palestras aos alunos. A equipe, composta inicialmente por oito alunos — Lara, Eloísa, Letícia, Breno, Érick, César, Mateus e Vinicius — foi coordenada pelos professores de química, Valquíria Martins, e de matemática, Helder Faria. “Apesar de estarmos coordenando o grupo, o projeto também envolvia outras matérias e os alunos estudaram muito para a realização do trabalho”, explicou Valquíria.

A classificação para participar da Mostra dependia do alcance do foguete desenvolvido pela esquipe, que deveria ser superior a 100 metros. Eles atingiram a média de 110 metros por lançamento. Mas a boa notícia da classificação chegou acompanhada de informações desanimadoras. Pelas regras da Mostra, apenas quatro membros da equipe poderiam representar a escola, acompanhados de apenas um professor.

Empenho Coletivo

O jeito encontrado foi dividir o grupo em dois, para que a equipe que alcançasse o melhor lançamento viesse a representar a escola. Definida a representação, todos os alunos continuaram empenhados em realizar melhorias no projeto. “É claro que eu queria participar na Mostra, mas não podia. Então trabalhamos muito aqui para ajudar a equipe a conseguir bons resultados”, relatou César, o aluno responsável pelo desenvolvimento da base de lançamento do foguete.

O evento aconteceria no Estado do Rio de Janeiro e a inscrição custaria à escola R$ 3 mil. Mais um obstáculo a ser enfrentado, pois, por se tratar de escola pública, a Secretaria de Educação não poderia custear a viagem e a inscrição, por não estar no cronograma oficial desde o início do ano. Mais uma vez, toda a escola se mobilizou para arrecadar o valor necessário. Os alunos fizeram festas,apresentações, venderam doces, pediram ajuda ao comércio, pais e professores.

A poucos dias do encerramento das inscrições, conseguiram! Graças à ajuda e ao incentivo, finalmente chegou o grande dia. Num hotel de Barra do Piraí, reservado exclusivamente para a Mostra de Foguetes, os alunos da “Nélson Monteiro” conseguiram atingir a marca de 144 metros no primeiro dia de lançamento.

Em São José dos Campos, a espera por notícias deixava os demais membros da equipe apreensivos. Da cidade eles passavam ao grupo que disputava a Mostra informações para ajustes na base de lançamento do foguete. “E deu certo! No segundo dia o foguete alcançou 180 metros”, conta a professora Valquíria.

Os alunos também fizeram uma apresentação acadêmica a respeito do projeto. Foram avaliados por uma banca examinadora e, ao final das apresentações, a escola conseguiu o 6º lugar nos lançamentos práticos e o 5º lugar na apresentação acadêmica, entre 63 escolas participantes.

Os promissores resultados alcançados motivaram a “Nélson Monteiro” a preparar-se e participar da Mostra do próximo ano. Vários alunos já estão se candidatando para formar a próxima equipe. Lara, a única aluna do segundo ano, já está com o nome aprovado e cheia de planos: “Minha experiência no Rio de Janeiro foi algo novo! Eu nunca havia saído de São Paulo, ainda mais para uma competição onde havia pessoas do Brasil todo.

Lá eu absorvi alguns conhecimentos para aplicar no foguete do ano que vem, já tenho até alguns projetos em mente!” Os alunos que se despedem da escola em 2014 já se comprometeram a colaborar em 2015, como “consultores” da nova equipe.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 33ª - Dezembro de 2014

Comentário: Pois é esta notícia tem como principal destaque o que levou esses alunos e seus professores a alcançarem conquistas neste evento, ou seja, o “COMPROMISSO” de todos em realizar uma boa participação no mesmo. Um grande exemplo para a “Ogra” que infelizmente para o Brasil é a única que tem o poder de estabelecer este mesmo COMPROMISSO no PEB, e cobrar de seus órgãos gestores e executores que apresentem resultados. Parabéns aos jovens e professores da Escola Estadual “Nélson Monteiro”, de São José dos Campos pelo resultado alcançado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário