quarta-feira, 19 de novembro de 2014

MECTRON Finalmente Entrega os Equipamentos das Redes Elétricas do SARA Suborbital 1

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (18/11) no site “www.defesanet.com.br“ destacando que a empresa MECTRON finalmente entregou os equipamentos das Redes Elétricas da Plataforma do SARA Suborbital 1.

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

MECTRON Fornece Equipamentos Para
Plataforma SARA Suborbital

A empresa é responsável pelo projeto e fornecimento
da eletrônica embarcada da Plataforma SARA

DefesaNet
18 de Novembro, 2014 - 16:17 ( Brasília )

Fotos – MECTRON
Da esquerda p/ direita: Eng. Francisco Visconti, MECTRON,
Dr. Eng. Loures, DCTA/IAE, Eng. Francisco Dias, Diretor da
CENIC, Eng. Valter Rodrigues, Diretor de Tecnologias
da ODT, e Eng. Yoshino, MECTRON.

A MECTRON , empresa subsidiária da ODEBRECHT Defesa e Tecnologia - ODT, realizou a entrega definitiva ao IAE – Instituto de Aeronáutica e Espaço, órgão do DCTA – Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, e à empresa CENIC Engenharia, dos equipamentos que compõem o Subsistema Redes Elétricas da plataforma destinada a experimentos em ambiente de microgravidade, denominada Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA). Esta entrega definitiva ocorreu após trabalhos de modificação e atualização solicitados pelo IAE em função de aspectos de segurança operacional e de compatibilidade com o Banco de Controle da plataforma.

No evento, estiveram presentes nas instalações da empresa o Dr. Eng. Luís Eduardo Loures da Costa, representando o DCTA/IAE, e o Eng. Francisco Dias, da empresa CENIC Engenharia. Além dos equipamentos, num total de 32, abrangendo modelos de engenharia, qualificação e voo, também foi entregue toda a documentação técnica gerada pela MECTRON para o projeto, totalizando aproximadamente 1.000 documentos.

A Plataforma SARA é um projeto em desenvolvimento pelo DCTA/IAE, concebida para operar em órbita circular baixa, por um período máximo de 10 dias realizando experimentos científicos em ambiente de microgravidade, com posterior reentrada na atmosfera e recuperação em solo. A Plataforma SARA, na sua primeira missão, será lançada pelo veículo de sondagem VS-40 modificado, produzido pelo IAE, a partir do Centro de Lançamento de Barreira do Inferno - CLBI (RN), em voo suborbital, com o objetivo de qualificar a Plataforma e seus subsistemas.

O Subsistema Redes Elétricas do SARA, desenvolvido e fabricado pela MECTRON, possui uma arquitetura na qual a eletrônica embarcada na carga-útil é compartilhada com o seu veículo lançador, reduzindo os custos e o peso.

Possui uma Rede de Serviço, destinada ao suprimento de energia e ao sequenciamento de eventos em voo, uma Rede de Telemedidas, com a função de coletar os dados de voo e transmitir para a estação de solo, uma Rede de Controle, composta do sensor inercial, o computador de bordo, eletrônica de potência e o atuador de gás frio, com a finalidade de tornar próximas de zero as velocidades angulares da plataforma, e uma Rede de Segurança, responsável por receber e decodificar o telecomando de solo e acionar a terminação de voo do veículo VS-40, caso este assuma uma trajetória anômala.

A Plataforma SARA representa uma proposta inovadora tanto em termos de concepção da missão, como de suas Redes Elétricas, que permite a otimização dos custos com a sua reutilização após recuperação pós-voo.

Parte dos equipamentos e documentação entregues pela
ODT/MECTRON ao DCTA/IAE e CENIC.



Comentário: Apesar leitor de não ter sido ainda divulgado oficialmente pelo IAE em seu site, essa é sem dúvida uma das poucas boas notícias do PEB no ano de 2014. Agora me parece que não há mais empecilhos para o tão esperado lançamento da SARA Suborbital I. O problema agora passa a ser (se bem sucedido for o seu lançamento e será) a continuidade das três fases seguintes do projeto. Avante SARA.

8 comentários:

  1. E em relação ao sistema que eles tem que entregar para o SISNAV do VLS, será que está próximo de ser entregue?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo!

      Eu creio que sim, mas não tenho essa informação com certeza.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Engano meu, ou a fotografia mostra equipamentos para mais de um lancamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Israel!

      Não creio amigo, foram entregues os equipamentos dos modelos de engenharia, qualificação e voo do SARA Suborbital I. Entretanto os equipamentos parecem ser reutilizáveis.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  3. Este tipo de orbitador é o primeiro passo para o desenvolvimento de naves tripuladas de reentrada, tipo a Soyuz ou a Órion.

    A caminhada é longa, porém. E dado o histórico do PEB provavelmente nunca será feita. :´(

    A pergunta que fica é: o lançamento poderá ocorrer este ano ainda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodrigo!

      Respondendo a sua pergunta, não creio, mas deve ocorrer nos primeiros meses de 2015, isto é, se a DILMA e seus energúmenos não atrapalharem cortando recursos.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  4. Não podemos deixar de ressaltar o fato de que hoje em dia, a MECTRON é subsidiária da ODEBRECHT, empresa líder no setor de corrupções no país, que foram objeto de manchetes recentes, desde a tal Refinaria de Pasadena, como no mais recente escândalo revelado na Operação Lava Jato.

    Nós não podemos fazer como a recém reeleita presidente, e fazer de conta que está tudo bem, olhar pro outro lado e acreditar que as coisas não estão relacionadas.

    Estão relacionadas sim !!!

    Uma primeira medida, minimamente profilática, seria afastar empresas estratégicas do controle dessas que comprovadamente estão ligadas a desvios de conduta inomináveis.

    E então, como fica isso? Vão deixar a MECTRON sob controle dessa corja e fingir que não tem nada a ver uma coisa com a outra?

    Intrigante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcos!

      Apesar de achar que os pontos colocados aqui por você são relevantes e diria não só em relação a ODEBRECHT, já que este tipo de coisa ocorre com frequência nos bastidores da relação entre o nosso corrupto governo e a maioria das empresas que prestam serviços no setor público, neste caso em particular não se aplica.

      A MECTRON é verdade faz parte do Grupo ODEBRECHT, mas tem direção independente, muito provavelmente dirigida pelos antigos donos, como aliás é pratica em grupos grandes como a ODEBRECHT.

      Vale lembrar que a cúpula do Grupo tem como origem a Engenharia Civil e não espacial, muito mais complexa, e jamais correriam o risco de se meter em algo tão complexo sem ter as garantias necessárias.

      Isto evidentemente não impede da cúpula do Grupo interferir politicamente para favorecer a MECTRON em contratos com o governo, e isto deverá ou já deve ter ocorrido, mas mesmo assim não se aplica a este contrato, já que o mesmo foi assinado antes da venda da empresa, tá ok amigo?

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir