segunda-feira, 8 de abril de 2013

Profs. de Foz do Iguaçu Podem Participar de Curso do INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (08/04) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Professores de Foz do Iguaçu podem participar do Curso Tecnologia Espacial na Educação.

Duda Falcão

Professores de Foz do Iguaçu Podem Participar
do Curso Tecnologia Espacial na Educação

Segunda-feira, 08 de Abril de 2013

Estão abertas as inscrições ao curso para educadores promovido pelo XVI SBSR – Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, que ensinará a utilizar imagens de satélites e outras geotecnologias como apoio ao aprendizado de diferentes disciplinas do currículo escolar. Será no dia 19 de abril, das 8h às 18h, no Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR). Gratuito, o curso “Tecnologia Espacial na Educação” oferece 140 vagas a professores de escolas públicas e privadas.

Organizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), com atividades práticas e aulas teóricas, o curso mostra as características de sensores e satélites, como se formam as imagens, escala cartográfica e outros fundamentos do sensoriamento remoto. Os educadores também terão aulas sobre a finalidade desta tecnologia no estudo de fenômenos atmosféricos e de ambientes terrestres e conhecerão exemplos do uso escolar das imagens de satélites.

O curso é tradicionalmente oferecido nas cidades que sediam o SBSR, evento realizado a cada dois anos que reúne a comunidade brasileira de sensoriamento remoto e os principais nomes nacionais e estrangeiros do setor. Nas edições anteriores deste curso, professores participantes desenvolveram projetos que inovaram o processo de ensino e aprendizado em suas escolas, como resultado da oportunidade de incluir novas tecnologias em sala de aula.

Mais informações, bem como o formulário de inscrições, estão disponíveis na página http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/educadores.html

SBSR

Maior evento nacional sobre tecnologias relacionadas a satélites e geoprocessamento, o Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR) desta vez será em Foz do Iguaçu, de 13 a 18 de abril. Promovido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e pela Sociedade de Especialistas Latino-americanos em Sensoriamento Remoto (SELPER), o evento apresentará mais de mil trabalhos científicos, em sessões orais e de pôsteres, 8 cursos de alto nível em várias áreas e uma série de workshops, mesas-redondas e palestras especiais.

Essas atividades serão no Complexo Rafain Expocenter, onde são esperadas duas mil pessoas, entre especialistas do setor, pesquisadores, estudantes, gestores e empresários. No local, haverá também uma exposição técnica, aberta ao público em geral, em que novos produtos, serviços e projetos serão apresentados pelas principais empresas e instituições com atuação na área de sensoriamento remoto.

Confira a programação completa no site do evento: www.dsr.inpe.br/sbsr2013


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) 

Um comentário:

  1. " NADA MELHOR DO QUE O ENSINO PARA EDUCADORES"
    A compreensão do INPE na luta de levar conhecimentos para as escolas é muito gratificante e empreendedora, atitude contra a pobreza do conhecimento, vem esclarecer os limitados professores e alunos de que a prática da ci~encia espacial é gratificante e agente descubridores de talentos. Para mim há uma visão de essa é uma obrigação do governo (donos da razão científica). Além disso, o cenário atual dos investimentos com a educação dos últimos anos é outro, mudança de responsabilidade de preparar a nova geração de jovens Brasonautas, O crescimento tem ajudado a criar uma nova mentalidade de expansão para o público não leigo, além das fronteiras dos institutos, e com isso, as pessoas mais carentes do saber tem mais oportunidades. Essas pessoas nas suas escolas, sobrevivem com o sonho de levar até a sala de aula materiais que serão repassados para o carentes e ociosos alunos. O CEFAB já executou 3 trabalhos educativos nas escolas Luz do Mundo e Pingo de Gente, a missão não é reter o conhecimento. O objetivo é que elas saiam da pobreza do conhecimento científico, o que é diferente quando se ensinam, principalmente para o ensino fundamental os conceitos da matemática e da física, quando lançando um pequeno foguete propelido a água pressurizada, Muitas crianças não parecem em acreditar em testemunhar um lançamento desses foguetes
    Por incrível que pareça, boa iniciativpara todos."

    ResponderExcluir