terça-feira, 23 de abril de 2013

Começa a Reunião Especial da SBPC em Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada ontem (22/04) no site do “Jornal da Ciência” da SPBC destacando que começou ontem a Reunião Especial da SBPC em Alcântara.

Duda Falcão

Notícias

Reunião Especial da SBPC em Alcântara
Leva Ciência e Educação Para
Comunidades do Município

Evanildo da Silveira, de Alcântara
22/04/2013

Novo formato do encontro tem programação dirigida à população, sem conferências nem apresentação de trabalhos científicos.

Começou hoje (22/04) pela manhã a Reunião Especial da SBPC em Alcântara, no Maranhão, que terá várias atividades ao longo da semana, destinadas a alunos e professores do ensino básico e agentes de saúde do município. É a primeira reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da (SBPC) nesse formato, com uma programação toda dirigida para a população, sem conferências nem apresentação de trabalhos científicos. "É uma experiência nova da SBPC", disse sua presidente Helena Nader. "O nosso trabalho será inteiramente voltado para a divulgação da ciência e para as necessidades educacionais e de saúde da população."

De segunda a quinta-feira professores de várias universidades federais e outras instituições de ensino coordenarão várias ações de educação e de saúde e de divulgação científica em escolas municipais nos polos educacionais de Marudá, Oitiua, Raimundo Su e Arehengaua, todos no interior de Alcântara. Para realizar o trabalho, eles contarão com o auxílio de estudantes de doutorado e pós-doutrado. Na sexta-feira, as atividades serão realizadas na própria cidade, no Câmpus de Alcântara do Instituto Federal do Maranhão (IFMA).

Essas ações incluem cursos, minicursos e oficinas de atualização para professores, entre os quais "O computador como instrumento na aula de Biologia", "Doenças Sexualmente Transmissíveis virais - como abordar a temática dentro da sala de aula" e "O Sistema Solar na sala de aula". Para os estudantes do ensino básico serão oferecidas oficinas, como "Vivenciando a Biologia", "Gibi com Ciência" e "O Sistema Solar na palma das mãos".

Também serão realizados minicursos e oficinas para agentes de saúde, sobre doenças como malária e dengue, leishmaniose, raiva, hanseníase, diabetes e hipertensão, doenças infantis (incluindo desidratação e desnutrição), alcoolismo e drogas, e acidentes com animais peçonhentos. Durantes essas atividades serão abordados os principais sintomas de cada doença e como detectá-los, como proceder com o doente e para onde encaminhá-lo. Também será mostrado como identificar os fatores de risco no ambiente que podem causar a doença e as principais formas de preveni-las.

Além do trabalho realizado nos polos educacionais, haverá exposições e mostras científicas sobre as leis e fenômenos físicos, apresentadas de forma lúdica e interativa. Também haverá projeção de filmes e animações para crianças e suas famílias, e oficina "Faz e Acontece" de trampolim acrobático, 'water ball', malabares e contação de história. Um planetário instalado no centro da cidade será outra atração da Reunião Especial da SBPC em Alcântara. O equipamento é uma cúpula, na qual um projetor digital mostra uma imagem de 180 graus simulando uma noite estrelada. Nele serão realizadas oito sessões diárias, entre às 9h e 17h.

Segundo a presidente da SBPC, essas atividades, mostras e exposições terão como foco a comunidade e mobilizarão vários atores para colocá-las em prática. "Estou muito feliz com essa reunião, pois estamos fazendo em Alcântara um pouco do que realizamos no Pier Mauá, durante a conferência mundial Rio + 20", disse Helena. Para a secretária geral da Sociedade, Rute de Andrade, essa reunião é única porque nunca foi feita em Alcântara nem cidades com características semelhantes. "Conseguimos mobilizar a prefeitura e parte da população", contou. "A reunião também se diferencia, porque a partir do trabalho que faremos nos polos, vamos elaborar um projeto educacional para o município, que será apresentado ao Ministério da Educação."


Fonte: Jornal da Ciência de 22/04/2013

Comentário: Bom, muito bom mesmo, apesar de ser uma ação tardia e de ter partido de uma organização não governamental. Veja você leitor que se todo processo de implantação da Base desde o inicio tivesse seguido o exemplo da Base de Kourou, nada disso estaria acontecendo e a região de Alcântara hoje seria outra completamente diferente. É preciso que a Sociedade Brasileira como um todo entenda que antes da Base chegar o poder público não existia na região, nem mesmo o estadual, que só apareceria por lá em época de eleição fazendo promessas que nunca eram cumpridas. De repente chegou a Aeronáutica expulsando todo mundo de suas casas, realocando-as em agrovilas sem qualquer planejamento e orientação (esse povo em sua maioria vivia da pesca e eventualmente de caça, eles não eram agricultores) gerando eventualmente uma grande e natural insatisfação. Isso fez com que eles entrassem na justiça, coisa que inicialmente não teve muito efeito, mas que com tempo começou a funcionar devido o apoio e orientação que as Comunidades começaram a receber de ongs, muitas delas internacionais de origem suspeita (que se aproveitaram da situação para impedir a implantação da Base), de políticos que observaram na situação uma oportunidade de se promoverem e ai veio o INCRA e gerou toda essa confusão que agora a SBPC tenta amenizar com essa atitude. O que me deixa triste, decepcionado e furioso é que tudo isso poderia ter sido evitado com um mínimo de bom senso. Bons exemplos senhores existem para serem copiados e seguidos, e o de Kourou no quintal de casa era esse exemplo. O Japão uma grande potencia econômica e tecnológica nos dias de hoje que após a Segunda Grande Guerra Mundial encontrava-se totalmente destruído, começou copiando o que os outros faziam e já na Olimpíada de Tóquio em 1964 a nação do SOL NASCENTE mostrava para o mundo a sua força. Está ia caro leitor a diferença entre Nações como o Japão, e países formados por tribos com o Brasil. Lamentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário