segunda-feira, 4 de março de 2013

Uma Época de Grande Motivação e Esperança

Olá leitor!

A madrugada do dia 10 para 11/12/1999 foi para mim cheia de emoções, tanto que não conseguir pregar os meus olhos durante toda a noite, já que não saia de minha cabeça a expectativa do lançamento do VLS-1 V02 tendo a bordo o microsatélite brasileiro SACI-2 (Satélite de Aplicações Científicas 2)  que ocorreria às 16h40 daquele dia 11/12 do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), numa operação que foi denominada de “Operação Almenara”.

A expectativa de todos amantes da Astronáutica no Brasil era enorme, não só pelo o que seu sucesso representaria para a imagem internacional do Brasil, mas principalmente pelo que poderia representar para o futuro de nosso país.

Vale dizer que toda Comunidade Espacial Internacional estava de olho no que acontecia naquela longínqua e desconhecida base de lançamentos de foguetes de nome estranho, localizado num país mais conhecido pelo seu futebol, pelo seu carnaval e pelas suas belas mulheres, mas que naquele momento lutava com ousadia para fazer parte do fechadíssimo clube de países que dominavam o ciclo completo das atividades espaciais.

Infelizmente para nós, como sabemos, o lançamento falhou devido uma falha ocorrida na ignição do segundo estágio que gerou uma explosão dando fim a missão.

Para mim a notícia do fracasso da missão, onde perdemos o segundo satélite científico do país (o primeiro (SACI-1) havia sido colocado no espaço em 14/10 do mesmo ano através de um foguete chinês Longa Marcha 4B, mas infelizmente não funcionou), foi devastadora, pois eu sabia que não seria nada bom politicamente para as instituições envolvidas com o nosso Programa Espacial.

Vale lembrar que o Brasil já havia passado por uma Missão fracassada do VLS-1, missão essa que foi nomeada de “Operação Brasil” e que teve o seu lançamento ocorrido em 02/11/1997, ou seja, pouco mais de dois anos antes da Operação Almenara.

Esse pequeno espaço entre as duas missões (hoje algo impensável) só foi possível devido ao grande esforço empreendido na época pelas equipes envolvidas com o Programa do VLS-1, mas que após o fracasso foi diminuindo aos poucos pela falta de apoio do governo, fazendo com que o foguete só voltasse a ficar ‘pronto’ (na marra) quase quatro anos depois, mas não com as garantias de segurança encontradas nas duas versões anteriores.

Infelizmente o compromisso do governo Fernando Henrique Cardoso para com o programa, que já não era bom, havia diminuído consideravelmente, o que em minha opinião pessoal levou ao desastre que ceifou as vidas dos 21 técnicos do IAE, durante a realização da “Operação São Luiz” em agosto de 2003.

Muitos poderão dizer: Mas Duda, o desastre ocorreu durante o Governo LULA, o que é verdade. Porém a Operação começou a ser planejada e prejudicada no governo do Fernando Henrique, sendo o golpe final o orçamento irresponsável do PEB (R$ 50 milhões) enviando por ele ao Congresso no período de transição entre os dois governos. Se houve alguma culpa do LULA foi por omissão, já que ele poderia ter liberado verbas complementares, caso tivesse a sensibilidade para entender que 'programa espacial não coisa para se brincar'.

O resultado disso levou o país a perder estimáveis técnicos, e as famílias perderam seus pais e filhos, devido a incompetência e a irresponsabilidade desses energúmenos  que militam, na política brasileira, e ainda por cima, esses heróis que sacrificaram suas vidas pelo Brasil, não tiveram até hoje o seu sacrifício reconhecido pela Nação Brasileira, se é que podemos chamar esse país de nação.

Assim sendo, em homenagem a esses grandes heróis brasileiros (entre eles um jovem de apenas 19 anos) trago para você leitor o vídeo da “Operação Almenara”, onde você poderá ver parte desses heróis em ação, em 'uma época de grande motivação e esperança' que certamente marcou a vida de vários profissionais, alguns dos quais ainda trabalhando no IAE, como o Dr. Waldemar Castro Leite.

Duda Falcão

Operação Almenara

3 comentários:

  1. Duda
    Na sua empolgação vc misturou os fatos. A falha do motor que levou ao veículo quebrar ocorreu em 1997 (V01) e não em 1999. O V02 lançado em 1999 teve um vôo completo do primeiro estágio perfeitamente controlado. O problema ocorreu (infelizmente) na ignição do segundo estágio que explodiu.
    Já a demora de quase 4 anos para o lançamento do V03, não se deveu apenas à falta de verba mas a mudanças drásticas na legislação e na conduta dos órgãos fiscalizadores. Isso até hoje tem paralizado as contratações do PEB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Heisenberg!

      Obrigado pela correção quanto a falha do VLS-1 V02. Já fiz a modificação no texto. Entretanto, quanto a demora do V03, não retiro uma virgula do que disse, pois se houve mudança na legislação e a conduta dos órgãos fiscalizadores não foi e continua não sendo a adequada, caberia o governo modificá-las, coisa que nesse especifico caso estava sobre a responsabilidade do governo Fernando Henrique e ele não fez nada.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Muito legal!

    Onde poderiamos estar se este lançamento tivesse tido sucesso...

    ResponderExcluir