sexta-feira, 30 de novembro de 2012

NASA Apresenta Novo Reator Nuclear Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (30/11) no site “Inovação Tecnológica” destacando que a NASA americana apresentou novo Reator Nuclear Espacial.

Duda Falcão

Espaço

NASA Apresenta Novo Reator Nuclear Espacial

Redação do Site Inovação Tecnológica
30/11/2012

[Imagem: LANL/SIT]
Além da eletricidade, o sistema deve gerar calor suficiente para manter
aquecidos os equipamentos científicos e de comunicação das naves. 

Energia para o Espaço

Cientistas da NASA e do Laboratório Los Alamos criaram um novo conceito de reator nuclear espacial.

A NASA já usou fontes de energia nuclear em inúmeras missões, sobretudo naquelas distantes demais do Sol para que os painéis solares sejam uma solução viável.

O robô Curiosity, atualmente em Marte, é alimentado por um sistema nuclear.


Mas o novo reator nuclear espacial é mais simples, menor e mais leve do que todas as opções disponíveis até agora.

Tubos de Calor e Motor Stirling

O calor gerado pelo decaimento radioativo do urânio é capturado por tubos de calor, um sistema de transferência de energia térmica que já é utilizado para o resfriamento de processadores de computador.

Os tubos levam o calor até oito motores Stirling, um motor de ciclo fechado extremamente simples, que converte energia térmica em energia mecânica usando um gás pressurizado para movimentar um pistão.

A energia mecânica do pistão gera a eletricidade.

O protótipo, chamado DUFF (Demonstration Using Flattop Fissions), produz 24 watts de eletricidade.

"A maior diferença entre o DUFF e um sistema pronto para ir ao espaço é que a temperatura de entrada dos motores Stirling precisará ser mais quente para atingir a eficiência e a potência necessárias para as missões espaciais," disse David Poston, gerente do projeto.

Além da eletricidade, o sistema deve gerar calor suficiente para manter aquecidos os equipamentos científicos e de comunicação das naves.

[Imagem: LANL]
Conceito de uma sonda alimentada pelo novo gerador nuclear espacial. 

Reator Nuclear Espacial

Embora os engenheiros chamem o equipamento de "reator nuclear espacial", os geradores de energia alimentados por radioisótopos são diferente dos reatores nucleares convencionais, já que estes aceleram artificialmente as reações nucleares para produzir mais calor.

Os geradores de radioisótopos são uma espécie de usina nuclear mais calma, que deixa as coisas acontecerem normalmente. Isso produz menos energia, mas requer um equipamento mais simples e mais confiável.

O novo equipamento tem como vantagem adicional um mecanismo de partida para o sistema de decaimento radioativo, garantindo que a energia nuclear só começará a ser gerada no espaço, evitando riscos de radioatividade na eventualidade de acidentes no lançamento.

O projeto também poderá ser utilizado como fonte de energia para futuras bases espaciais na Lua ou em Marte.


Fonte: Site Inovação Tecnológica

Comentário: Pois é leitor e a NASA continua avançando.

Brasil y Arg. Avanzan en Proyecto del Satélite Sabía-Mar

Hola Lector!

Sigue abajo una noticia puesta hoy (30/11) en el website chino “spanish.people.com.cn” destacando que el Brasil y Argentina avanzan en proyecto para desarrollar satélite oceanográfico.

Duda Falcão

Español >>Ciencia-Tecnología

Brasil y Argentina Avanzan en Proyecto
para Desarrollar Satélite Oceanográfico

Brasil y Argentina esperan contar en julio próximo con um
cronograma definitivo de ejecución del proyecto "Sabiá-Mar",
por el que se proponen desarrollar, lanzar y operar conjuntamente
un satélite de observación oceanográfica.

Actualizado a las
30/11/2012 - 15:37

Brasil y Argentina esperan contar en julio próximo con un cronograma definitivo de ejecución del proyecto "Sabiá-Mar", por el que se proponen desarrollar, lanzar y operar conjuntamente un satélite de observación oceanográfica.

El compromiso para elaborar un proyecto definitivo que incluya cronograma fue asumido en una reciente reunión entre representantes de ambos países, informó hoy la Agencia Espacial Brasileña (AEB).

Las dos partes se comprometieron a definir grupos de trabajo específicos para el proyecto que tendrán que presentar, como máximo en marzo de 2013, un informe con la revisión de los requisitos del proyecto.

El objetivo del proyecto es el desarrollo de un satélite oceanográfico que permita observar el medio ambiente marino y los recursos hídricos en el litoral que va desde el norte de Brasil hasta el sur de Argentina.

Los dos países consideran que el proyecto puede dar origen a una familia de satélites.

El proyecto Satélite Argentino-Brasileño de Observación de los Océanos (Sabiá-Mar) fue lanzado inicialmente en 2007 pero las negociaciones poco avanzaron hasta ser retomadas el año pasado.

La intención es lanzar una cooperación técnica que le permita a los dos países desarrollar los principales componentes de carga útil del proyecto y en el que puedan participar activamente las industrias nacionales.

Por las negociaciones iniciales, Brasil será responsable por la Plataforma Multimisión del satélite y Argentina por las cargas útiles, pero ambos podrán participar activamente en las actividades de la otra parte.

Los dos gobiernos esperan que el satélite tenga un gran impacto en áreas como la protección al medio ambiente, la prevención de desastres ambientales, el manejo costero, los recursos hídricos, la oceanografía, el uso sustentable de recursos marinos, la meteorología y los cambios climáticos.

La principal función del equipo será la obtención de informaciones globales sobre las propiedades ópticas de los océanos, con aplicaciones en las áreas de oceanografía y climatología, y la vigilancia de los recursos naturales, con énfasis en la prospección mineral y la protección del medio ambiente.

Según las previsiones iniciales, el aparato tendrá capacidad de carga útil de hasta 800 kilos y 700 vatios de potencia promedio, además de un sensor óptico con especificación preliminar de entre 15 y 25 bandas de selección dentro del espectro visual e infrarrojo.

Brasil espera que el satélite pueda ser transportado por el Cyclone-4, un cohete ucraniano que será lanzado desde la base espacial brasileña de Alcántara gracias a un acuerdo bilateral entre Brasil y Ucrania.


Fuente: Website chino spanish.people.com.cn - http://spanish.peopledaily.com.cn/

Comentario en Español: Caro lector, en la realidad el proyecto del Sabía-MAR no fue lanzado en 2007 como dice en la materia arriba, en la verdad el mismo fue sugerido por primera vez alrededor de 1996/97 durante una reunión técnica entre la Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE) de la Argentina, y el Instituto Nacional de Investigaciones Espaciales (INPE), y en la época nombrado como Satélite Argentino-Brasileño de Informaciones sobre Agua, Alimento y Ambiente (SABÍA³). Lo Sabía-Mar tuvo su "Programa de Cooperación" firmado en 1998 y un "Protocolo Complemente" firmado en 2005, y de allá para ka, varías declaraciones conjuntas y acuerdos cuadros donde el proyecto fue incluido, finalizando en mayo de 2010 con una noticia que daba cuenta de que lo Brasil y la Argentina irían a iniciar la “FASE-A” del proyecto (Vea la nota en portugués: “O Projeto SABIA-MAR Terá sua "Fase A" Iniciada”), o sea, muy blá-blá-blá político y nada de concreto hasta ahora. Es preciso esclarecer la verdad de los hechos, ya que la historia de ese proyecto de satélite es una de las mayores novelas del Programa Espacial Brasileño. Otra cosa a ser esclarecida es que lo Brasil no espera coisíssima ninguna que ese satélite sea lanzado por el trambolho tóxico ucraniano Cyclone-4 de la malo engenhada empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS), quien espera eso es a presidente DILMA ROUSSEFF y su equipo de energúmenos. Nos gustaría agradecer al lector André C. Castro, por el envío de esa noticia.

FTI é Lançado com Êxito em Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/11) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que o Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) da primeira etapa da “Operação Iguaíba” foi lançado com êxito ontem (29/11) do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

Foguete de Treinamento Intermediário
é Lançado com Êxito em Alcântara

Brasília, 30 de novembro de 2012


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) lançou com êxito, na quinta-feira (29), um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) como parte das atividades da Operação Iguaiba, realizada em conjunto com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE). A operação iniciada no dia 19, em Alcântara, no Maranhão, tem por objetivo lançar e rastrear o foguete de sondagem VS-30/ORION V10.

O veículo foi lançado às 15h52, pelo horário local. O foguete alcançou altitude máxima (apogeu) de 52,39 quilômetros em 108 segundos. Durante o lançamento, o FTI percorreu 82,58 quilômetros do ponto de lançamento até o local de impacto, gastando ao todo 215 segundos de voo.

O lançamento realizado na quinta serviu como um teste das equipes de operações e meios disponíveis em Alcântara para o lançamento do VS-30/ORION V10, que deve acontecer nos próximos dias. A expectativa é que o veículo de sondagem carregado com experimentos do IAE, do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), seja lançado na segunda semana de dezembro.

O Foguete de Treinamento Intermediário é o outro modelo do projeto FOGTREIN, desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a indústria nacional. O projeto tem o propósito de capacitar o pessoal de operações, verificar os meios associados aos lançamentos e obter a certificação e qualificação dos foguetes.

O lançamento do FTI foi o sétimo do ano na unidade da Força Aérea no Maranhão. Anteriormente, o CLA já havia lançado seis Foguetes de Treinamento Básico, e encerra o cronograma anual do Centro para lançamentos de foguetes de treinamentos.

FOGUETE DE TREINAMENTO INTERMEDIÁRIO (FTI):

Comprimento total: 5.5 m
Apogeu alcançado: 52,39 km
Tempo total de voo gasto: 215 s
Peso reservado para experimentos: 30 kg (sem experimentos embarcados)
Distância percorrida relativa ao local de lançamento: 82,58 km


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB) 

IAE Divulga o Relatório de Atividades 2011

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/11) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que o instituto divulgou em seu site o “Relatório de Atividades 2011”.

Duda Falcão

IAE Divulga o Relatório de Atividades 2011

Campo Montenegro, 30/11/2012

O Relatório de Atividades 2011 do Instituto de Aeronáutica e Espaço já se encontra disponível para leitura e download em Publicações. Anualmente o IAE elabora o Relatório de Atividades visando registrar as realizações do Instituto e ao mesmo tempo informar à sociedade as ações que foram desenvolvidas no exercício do ano que antecede a publicação. Constam do Relatório os seguintes capítulos: Mensagem do Diretor, Introdução, Apresentando o IAE, Rumando para a Excelência, Construindo Relacionamentos, Realizando durante 2011 e Contribuindo com a Sociedade. O Relatório foi construído para proporcionar uma leitura agradável de ser feita, visualmente rico em imagens e especialmente robusto em informações sobre a nossa organização.


Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Pois é, tá aí galera, vale a pena dar uma conferida.

LIT/INPE Comemora 25 anos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE comemorará nessa segunda-feira (03/12) 25 anos de fundado.

Duda Falcão

LIT/INPE Comemora 25 anos

Sexta-feira, 30 de Novembro de 2012

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) possui o único laboratório do Hemisfério Sul capaz de integrar e realizar testes completos de satélites e seus subsistemas. Na cerimônia em comemoração aos 25 anos do Laboratório de Integração e Testes (LIT), nesta segunda-feira (3/12) em São José dos Campos (SP), o diretor Leonel Perondi receberá autoridades da Agência Espacial Brasileira (AEB) e de órgãos ligados ao INPE, além de representantes de instituições e empresas nacionais e internacionais que mantêm parcerias com o Instituto.

A impossibilidade de reparo em órbita torna imprescindível a simulação em Terra de todas as condições que um satélite irá enfrentar desde o seu lançamento até o final de sua vida útil no espaço. Esta simulação é realizada no LIT com uma série de testes vácuo-térmicos, de interferência e compatibilidade eletromagnéticas, de vibração, de acústica e choque de separação, além de medidas de propriedades de massa dos satélites e seus subsistemas.

Concebido a partir de 1979, o LIT iniciou suas operações em 1987 e hoje está equipado com os mais sofisticados meios para a qualificação de sistemas para aplicações espaciais. Embora tenha sido especialmente projetado e construído para atender às necessidades do Programa Espacial Brasileiro, o LIT é também um sofisticado instrumento para a qualificação de produtos industriais que exijam alto grau de confiabilidade.

O LIT disponibiliza seus meios de testes para a realização de ensaios que contribuem para o desenvolvimento e à promoção de novas tecnologias. Este laboratório do INPE é importante para as empresas nacionais, que não precisam levar seus produtos para serem testados no exterior, ganhando em praticidade e economia e, como consequência, em competitividade.

Todos os anos centenas de empresas usam as instalações do LIT para testes de qualificação e certificação. Os produtos testados vão desde antenas e componentes eletroeletrônicos até veículos de grande porte. O LIT mantém inclusive um sistema completo para medidas da chamada “taxa de absorção específica de radiação”, importante para o setor de telefonia celular, que, conforme as especificações da Anatel, precisa testar o nível de radiação eletromagnética emitido pelos aparelhos no cérebro humano.

Satélites e Sistemas Espaciais

Ao longo de seus 25 anos de história, o LIT atendeu às necessidades de vários programas na área espacial, como os satélites de coleta de dados SCD, os primeiros desenvolvidos no Brasil e com tecnologia exclusivamente nacional; a série CBERS, de satélites de sensoriamento remoto desenvolvidos em parceria com a China; BrasilSat B1e B2, satélites geoestacionários de comunicação adquiridos pela Embratel nos anos 80; SAC-B, C e D, satélites científicos desenvolvidos pela Argentina; além dos testes do SACI-1 e 2, satélites científicos desenvolvidos pelo INPE;  do VLS, veículo lançador de satélites do Brasil; do HSB, carga útil meteorológica desenvolvida para equipar um satélite da NASA; e do SATEC, satélite tecnológico brasileiro.

Mais informações sobre o LIT/INPE na página www.lit.inpe.br.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentário: Pois é leitor, o LIT é um centro de excelência que tem sido muito pouco utilizado na função para o qual foi criado e para o qual está capacitado, mas enfim, fazer o que? O blog BRAZILIAN SPACE” parabeniza o LIT e seus servidores pelos serviços prestado a nação durante esses 25 anos de luta.

INPE Prepara-se para o Prog. da Univ. Intern. do Espaço

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto está se preparando para sediar Programa da Universidade Internacional do Espaço em 2013.

Duda Falcão

INPE se Prepara para sediar Programa da
Universidade Internacional do Espaço em 2013

Sexta-feira, 30 de Novembro de 2012

Na primeira semana de dezembro, cerca de 20 especialistas da Universidade Internacional do Espaço (ISU, na sigla em inglês) estarão no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP), para discutir a organização do Space Studies Program – SSP13, o mais importante e abrangente programa de treinamento do mundo na área.

O INPE sediará o SSP13 de 17 de junho a 16 de agosto de 2013. Será a primeira vez que o Brasil recebe o programa, que neste ano foi realizado nas instalações do Kennedy Space Center, da NASA, nos Estados Unidos.

Os programas da ISU são considerados mundialmente como os mais importantes e abrangentes treinamentos com abordagem em temas de tecnologia e exploração espaciais, visando benefícios à humanidade e proteção ambiental. A ISU teve seu início em 1987 e já formou cerca de 3.000 profissionais de mais de 100 países.

“Essa etapa da organização, que chamamos de Reuniões de Planejamento Curricular (CPM), é uma oportunidade para se discutir como o SSP13 será desenvolvido sob o ponto de vista acadêmico. Os líderes do programa, além de conhecerem a infraestrutura do INPE, discutirão as propostas que receberam de diversos segmentos da área espacial internacional para atividades de oficinas, palestras e visitas técnicas”, explica Antonio Yukio Ueta, assessor técnico do INPE e responsável pelo comitê local do SSP13.

Durante a semana de CPM, serão realizadas visitas a locais de São José dos Campos onde serão desenvolvidas algumas atividades do SSP13. Também haverá uma série de reuniões entre as equipes do INPE e da ISU nas áreas de logística, tecnologia da informação e relações externas.

Em 2013, nos dois meses do curso, circularão em São José dos Campos cerca de 200 pessoas de mais de 20 países, como funcionários e executivos de agências espaciais e profissionais de empresas ligadas à indústria aeroespacial. “Isto poderá trazer diversas oportunidades de negócios para os empresários de nossa cidade e região, sobretudo porque nossas empresas terão a oportunidade de apresentar suas competências em visitas técnicas que serão incluídas na programação acadêmica do curso”, comenta Antonio Yukio Ueta.

Durante o SSP13, São José dos Campos será ainda beneficiada com eventos abertos ao público em geral, como competição de robôs, de lançamento de foguetes de pequeno porte, painel de astronautas, entre outros, que certamente motivarão os jovens da cidade para atividades científicas e tecnológicas relacionadas ao setor aeroespacial.

O Programa SSP13

O SSP13 será dividido em três fases: 1) aulas fundamentais; 2) atividades de departamentos; e 3) projetos em equipes. Os departamentos abrangem sete áreas: Engenharia de Sistemas; Aplicações de Satélites; Medicina Espacial; Ciências Físicas; Política e Legislação; Negócios e Gerenciamento; e Espaço e Sociedade. Os projetos em equipes, já definidos para o SSP13, são: “Coastal Sustainability and Offshore Resource and Activity Management”; “Solar Maximum and Spacecraft Protection”; e “AMBIEnt - Affordable Microsatellite-Based Internet Access and Environmental moniToring”.

Mais informações sobre a programação do SSP13 no endereço http://www.isunet.edu/ssp-curriculum/


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentário: Ufa, enfim na Boa Terra novamente. Em breve farei um relato dessa minha nova visita a São José dos Campos.

Continuam os Preparativos p/o Lanç. do VS-30/ORION V10

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (29/11) no site do “Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)” informando que o continuam no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) os preparativos para lançamento do VS-30/ORION V10.

Duda Falcão

Continuam os Preparativos para o
Lançamento do VS-30/ORION V10

Campo Montenegro, 29/11/2012

A Operação Iguaíba  cujos trabalhos técnicos iniciaram-se no dia 18 de novembro de 2012, está em fase final de testes sistêmicos. Esta Operação tem como objetivo realizar o lançamento e o rastreio do foguete de sondagem VS-30/ORION V10, portando uma carga útil tecnológica e científica com experimentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE). Os resultados desses experimentos em voo suborbital serão coletados por meio de transmissão e recepção em tempo real. Para as medidas da fase de lançamento e suborbital, serão utilizadas as estações de rastreio (radares e telemetria) do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e a estação móvel de telemetria do IAE, deslocada especificamente para este fim.

O VS-30/ORION V10 é composto de dois estágios e o módulo de carga útil. O motor do segundo estágio (Improved Orion) foi fornecido pelo DLR da Alemanha, que está como parceiro na campanha. O restante do veículo, incluindo as partes mecânicas, pirotécnicas, eletrônicas e a plataforma da carga útil são nacionais e desenvolvidas pelo IAE. O foguete já está totalmente integrado e foi submetido a todos os testes de bancada, tanto no Prédio de Preparação de Propulsores (PPP), quanto no Prédio de Preparação de Carga Útil (PPCU). Antes do VS-30/ORION ser transportado para posição final, a equipe do IAE aguarda o lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI), previsto para o dia 29 de novembro, visando à verificação dos meios operacionais do Campo e treinamento das equipes. Após posicionamento do veículo no lançador, serão realizados os testes finais de comunicação e comando e a cronologia simulada completa.

O lançamento do VS-30/ORION V10, previsto para ocorrer entre os dias 10 e 13 de dezembro (janelas), cumprirá ainda as metas de: apoiar o projeto de pesquisa "Estudos da Ionosfera e Alta Atmosfera com Experimentos Embarcados a Bordo de Foguetes e Satélites" do INPE; permitir que organizações de ensino, pesquisas e desenvolvimento realizem experimentos científicos e tecnológicos por meio de voos suborbitais; apoiar o desenvolvimento de um sistema GPS para uso espacial, realizado em cooperação entre a UFRN e o IAE, com suporte financeiro da AEB; manter a operacionalidade dos centros de lançamento, proporcionando treinamento operacional às diversas equipes envolvidas em campanhas de lançamento; e dar prosseguimento ao Programa Espacial Brasileiro, em coordenação com a Agência Espacial Brasileira (AEB).



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

INPE Instala Magnetômetro na Terra do Fogo

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (29/11) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o instituto instalou Magnetômetro na Terra do Fogo.

Duda Falcão

INPE Instala Magnetômetro na Terra do Fogo

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012

Para aprimorar o monitoramento do clima espacial, acaba de ser instalado na Terra do Fogo, Argentina, um sistema magnetômetro. O novo equipamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) serve para averiguar variações do campo magnético terrestre relacionadas a perturbações do Sol.

“Termos um equipamento nesta latitude tão ao sul é importante para monitorar pontos estratégicos do Brasil e da América Latina, em especial o importante ambiente em torno da Anomalia Magnética da América do Sul”, explica Clezio De Nardin, pesquisador do Programa de Clima Espacial (EMBRACE) do INPE.

A Anomalia Magnética da América do Sul é um fenômeno da ionosfera capaz de provocar danos a satélites e a outros sistemas tecnológicos suscetíveis a eventos relacionados ao Clima Espacial, como a rede de distribuição de energia elétrica.

A instalação, realizada na Estação Astronômica Rio Grande, foi possível por meio da cooperação entre o Programa EMBRACE do INPE e a Universidad Nacional de La Plata (Argentina).

EMBRACE

O Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (EMBRACE) avalia os fenômenos solares que afetam o meio entre o Sol e a Terra, e o espaço em torno da Terra.

Fenômenos solares são capazes de causar interferências em sistemas como o GPS, além da possibilidade de induzir correntes elétricas em transformadores de linhas de transmissão de energia e afetar a proteção de dutos para transporte de óleo e gás. Estes fenômenos são particularmente mais intensos no ambiente espacial brasileiro, devido à grande extensão territorial do país, distribuída ao norte e ao sul do equador geomagnético, à declinação geomagnética máxima e à presença da Anomalia Magnética do Atlântico Sul.

O EMBRACE oferece informação em tempo real, na internet, e realiza previsões sobre o sistema Sol-Terra para diagnósticos de seus efeitos sobre diferentes sistemas tecnológicos, em áreas como navegação e posicionamento por satélite (aeronaves, embarcações, plataformas petrolíferas, agricultura de precisão), comunicação (satélites geoestacionários, aeronaves), distribuição de energia (linhas de transmissão, dutos de distribuição de gás natural e petróleo), além dos sistemas de defesa nacional.

Por meio de estudos sobre os processos eletrodinâmicos da ionosfera equatorial e de baixas latitudes, os pesquisadores do INPE monitoram parâmetros físicos como características do Sol, do espaço interplanetário, da magnetosfera, ionosfera e da mesosfera.

As informações estão disponíveis no Portal EMBRACE: www.inpe.br/climaespacial


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

CPTEC/INPE Promove Curso de Comp. de Dados Ambientais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (29/11) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o CPTEC/INPE irá promover Curso de Computação de Dados Ambientais.

Duda Falcão

CPTEC/INPE Promove Curso de
Computação de Dados Ambientais

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012

De 3 a 7 de dezembro, no Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em Cachoeira Paulista (SP), será realizado o “Curso de Computação de Dados Ambientais”.

O objetivo é capacitar profissionais no tratamento e análise de dados ambientais, como observações meteorológicas, resultados de modelos de previsão numérica, dados de sensoriamento remoto, entre outros.

Ministrado pelos especialistas da Divisão de Operações do CPTEC/INPE, o curso será dividido em três módulos: GrADS (dias 3 e 4), Shell (dia 5) e Fortran (dias 6 e 7).

A programação e o link para as inscrições estão disponíveis na página


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

INPE Publica Resultado Final da Perícia Médica e do Concurso

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (29/11) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o instituto publicou resultado final da perícia médica e do Concurso da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico.

Duda Falcão

INPE Publica Resultado Final da
Perícia Médica e do Concurso da
Carreira de Desenvolvimento Tecnológico

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012

O resultado final do Concurso Público realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), para provimento de cargos efetivos de Pesquisador da Carreira de Pesquisa em Ciência e Tecnologia, foi homologado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Confira aqui o documento.

Estabelecido pelo Edital 01/2012, o concurso destina-se à seleção de 17 pesquisadores em diversas especialidades. Todas as informações sobre esse concurso público estão disponíveis na página:


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nota de Esclarecimento da AEB

Olá leitor!

Recebemos hoje (29/11)  a Nota de Esclarecimento abaixo da Agência Espacial Brasileira (AEB) divulgada pelo Chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da AEB, o Sr. José Monserrat Filho, sobre as notícias vinculadas na mídia internacional dando conta de que o Brasil e a Rússia teriam assinado um acordo para a criação de um Satélite de Comunicações e de Observação da Terra.

Duda Falcão

Nota de Esclarecimento

A Agência Espacial Brasileira (AEB), por meio de sua Assessoria de Cooperação Internacional, considera importante esclarecer notícias veiculadas pela mídia internacional, segundo as quais o Brasil e a Federação Russa teriam assinado  acordo para a criação de um satélite de comunicações e de observação da Terra.

Houve, certamente, equívoco ou mal-entendido por parte das fontes que divulgaram tal informação. Os dois países não assinaram acordo sobre a criação de qualquer tipo de satélite.

Deve-se salientar que a AEB e a Agência Espacial Russa (Roscosmos, sigla em inglês) mantêm excelentes relações desde os anos 1990 e há, de fato, alguns projetos de cooperação bilateral em estudo por ambas as partes, mas que ainda não foram devidamente acertados.

José Monserrat Filho
Chefe da Assessoria de Cooperação Internacional
Agência Espacial Brasileira


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

AEB Publica Nova Portaria Relacionada com a ACS

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) de hoje (29/11) publicou uma portaria da Agência Espacial Brasileira (AEB), designando os servidores Edivaldo Sousa Gonçalves, Ricardo Douglas Baia Lira, Renato José de Sousa e Romeu Martins Ferreira, para comporem, sob a presidência do primeiro, a Comissão Especial de Licitação (CEL) visando a formalização de processos para contratação, com dispensa de licitação, das obras do Aeródromo de Alcântara e suas Vias de Acesso pertinentes à Infraestrutura Geral do Centro de Lançamento de Alcântara. Abaixo segue a portaria como publicada no DOU.

Duda Falcão

AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA
PORTARIA Nº 88, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

O PRESIDENTE DA AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA - AEB, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 3º da Lei nº 8.854, de 10 de fevereiro de 1994, tendo em vista a necessidade de implementação de ações pertinentes à complementação da Infraestrutura Geral do Centro de Lançamento de Alcântara, segundo as Exigências Técnicas em termos de Infraestrutura Geral necessária para lançar o Veículo de Lançamento Cyclone-4 e, Considerando que o Conselho de Defesa Nacional, conforme Aviso nº 084 GSIPR/CH, de 01 de abril de 2010, reconheceu o enquadramento do processo de implantação do veículo lançador Cyclone-4 no Centro de Lançamento de Alcântara na hipótese de dispensa de licitação por motivo de Segurança Nacional, conforme assinalado na Nota SAEI-AP nº 27/2010-RF, de 05 de março de 2010; e,

Considerando o disposto no Ofício nº 265/MCT, de 08/04/2010, resolve:

Art. 1º - Designar os servidores Edivaldo Sousa Gonçalves, CPF nº 289.277.101-34, Ricardo Douglas Baia Lira, CPF nº 769.488.037-68, Renato José de Sousa, CPF nº 209.797.381-72 e Romeu Martins Ferreira, CPF nº 206.661.016-04 para comporem, sob a presidência do primeiro, a Comissão Especial de Licitação (CEL) para formalização de processos para contratação, com dispensa de licitação, das obras do Aeródromo de Alcântara e suas Vias de Acesso pertinentes à Infraestrutura Geral do Centro de Lançamento de Alcântara, segundo as Exigências Técnicas em termos de Infraestrutura geral necessárias para lançar o Veículo de Lançamento Cyclone-4.

Art. 2º - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º - Revogar a Portaria N°70/AEB, de 19 de setembro de 2012.

JOSÉ RAIMUNDO BRAGA COELHO


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 2 - pág. 04 - 29/11/2012

Comentário: Pois é leitor enquanto a Sociedade Brasileira não se mobilizar para impedir essa insanidade, o governo segue tomando as providências para seguir em frente com esse projeto do jeito que está. De nossa parte tentamos junto com alguns leitores do blog nos mobilizar criando uma Petição Pública para combater essa iniciativa, mas mesmo sendo assinada por profissionais conhecidos do setor como o Dr. Otávio Durão, José Miraglia e Equipe, além dos pioneiros do PEB Cel. Ivan Janvrot Miranda e José Felix de Santana, entre tantos outros jovens estudantes da área e amantes do PEB, infelizmente ainda não alcançamos nem 150 assinaturas o que é bastante frustrante. Digito essas palavras de desanimo do hotel em que estou hospedado em São José dos Campos (SP), onde estou para participar está noite do encontro mensal da Associação Aeroespacial Brasileira (AAB) e onde aproveitarei para ter um encontro com o Dr. Waldemar de Castro Leite Filho  visando conhecer as instalações do Laboratório de Identificação, Navegação, Controle e Simulação (LINCS), laboratório esse responsável pelo SISNAV do VLS-1. A noite, durante o encontro da AAB, ao qual sou um dos associados, se tiver espaço, continuarei na luta buscando divulgar a nossa iniciativa.

CLA lança Hoje Foguete de Treinamento Intermediário

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (29/11) no jornal “O Estado do Maranhão” destacando que um Foguete de Treinamento  Intermediário (FTI) será lançando hoje do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

Geral

CLA lança Hoje Foguete de
Treinamento Intermediário

Operação Iguaíba, iniciada no dia 19, tem por objetivo a
capacitação de técnicos do Centro de Lançamento de Alcântara
para futura operação com VS-30/Orion V10

O Estado do Maranhão
29/11/2012

Divulgação/CLA
Foguete de Treinamento Básico
(FTB), lançado este ano do CLA
O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realiza hoje o lançamento de um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) como parte das atividades da Operação Iguaíba. O veículo tem 5,5 metros e deve atingir um apogeu (altitude máxima) superior a 54 quilômetros.

A operação, iniciada no último dia 19, em Alcântara, é realizada em conjunto com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) com objetivo de lançar e rastrear o foguete de sondagem VS-30/Orion V10.

O Foguete de Treinamento Intermediário é o outro modelo do projeto Fogtrein – também faz parte do projeto o Foguete de Treinamento Básico – desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a indústria nacional. O projeto tem o propósito de capacitar o pessoal de operações, verificar os meios associados aos lançamentos e obter a certificação e qualificação dos foguetes.

Testes - O lançamento hoje testará também as condições do CLA para o lançamento do VS-30/Orion V10. A expectativa é que o veículo de sondagem carregado com experimentos do IAE, do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), possa ser lançado na segunda semana de dezembro.

O lançamento do FTI será o sétimo do ano na unidade da Força Aérea no estado do Maranhão. Anteriormente, o CLA já havia lançado seis Foguetes de Treinamento Básico. É também a terceira vez que o veículo é lançado a partir de Alcântara. O foguete já havia partido do Centro em maio e agosto do ano passado durante as Operações Fogtrein I e II/ 2011, respectivamente.

Saiba Mais

OPERAÇÃO IGUAÍBA - 2012

Período da campanha
19/11/2012 a 15/12/2012

Veículos

1 FTI e 1 VS-30/ORION

Organizações Envolvidas

DCTA, AEB, CLA. CLBI, IAE,, UFRN, INPE e DLR

FOGUETE DE TREINAMENTO INTERMEDIÁRIO

Comprimento total: 5.5 m

Apogeu: superior a 54 km

Tempo total de voo: 203 s

Peso reservado para experimentos: 30 kg (sem experimentos embarcados)

Distância percorrida relativa ao local de lançamento: 90 km


Fonte: Jornal “O Estado do Maranhão” - pág. 06 – 29/11/2012

Comentário:  Aproveitamos para agradecer ao leitor maranhense Edvaldo Coqueiro pelo envio dessa matéria.