quarta-feira, 31 de outubro de 2012

IAE Assina Contrato com DFM-Engineering

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) de hoje (31/10) publicou um “Extrato de Contrato” do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) tendo como objetivo a contratação de empresa visando os serviços de desenvolvimento de software para simular o escoamento em câmaras de combustão de motor foguete. A empresa escolhida foi a DFM-Engineering, que creio seja de origem europeia. Abaixo seguem o extrato como publicado no DOU.

Duda Falcão

GRUPAMENTO DE INFRAESTRUTURA E
APOIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
EXTRATO DE CONTRATO

Espécie: Termo de Contrato;
1) Contratante: Instituto de Aeronáutica e Espaço;
2) Contratada: DFM-Engineering;
3) Nº do Contrato: 013/GIA-SJ/2012;
4) Origem: Inexigibilidade nº 007/ GIA- SJ/ 2011 - NUP 67720.010717/2011-76;
5) Objeto: Serviços de desenvolvimento de software para simular o escoamento em câmaras de combustão de motor foguete;
6) Valor do Contrato: C= 63.000,00 (sessenta e três mil euros);
8) Data de Assinatura: 22 de outubro de 2012;
9) Vigência: 18 (dezoito) meses a contar da data da publicação em D.O.U;
10) Signatários: Contratante: Exmo. Sr. Brig Eng Carlos Antônio de Magalhães Kasemodel - Ordenador de Despesas do IAE / Contratada: Sr. Carlos Alberto Coelho da Silva - Procurador.


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 3 - pág. 24 - 31/10/2012

Comentário: Bom leitor, não tenho informação precisa sobre em qual projeto ou em quais projetos será usado esse software simulador, mas creio que seja relacionado com os projetos dos motores-foguetes líquidos que estão em curso no instituto (L5, L15 e L75).

Innovative Astronomical Camera Will Be Developed at INPE

Hello reader!

It follows a note published on the day (10/10) in the website of the National Institute for Space Research (INPE) informing that a innovative Astronomical Camera will be developed at INPE.

Duda Falcão

Innovative Astronomical Camera
Will Be Developed at INPE

Wednesday, October 10, 2012

The SPARC4 (Simultaneous Polarimeter and Rapid Camera in Four Bands), an innovative tool for astronomical studies, will be developed by the National Institute for Space Research (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE) in collaboration with Brazilian scientific bodies. It is a camera that will enable performing photometry and polarimetry with moderate time resolution and in four spectral bands simultaneously.

In astronomy, when referring to optical cameras, images would be obtained in a single range of wavelength (of light). For obtaining images in four colors simultaneously and measuring the polarization of light, o SPARC4 will be unique in the world.

The conceptual project of the new instrument was approved by a committee of experts from INPE and from the National Laboratory for Astrophysics (Laboratório Nacional de Astrofísica - LNA), outside the SPARC4 technique team. The instrument must be ready within 2 to 3 years and will be installed on the 1.60m telescope at Pico dos Dias Observatory, headed by LNA in Itajubá (MG).

"The scientific data on astronomy are basically information about the light emitted by the objects of interest, such as stars and galaxies. The data is collected by instruments attached to telescopes. They are, therefore, light 'meters'. These instruments may be of several types: those that measure flow, the spectrum measuring (flux as a function of wavelength), those which obtain images, which measure polarization, among others. The SPARC4 is two-dimensional and can obtain images; with it we will measure not only the flow but also the polarization," explains Claudia Vilega Rodrigues, a researcher at the Astrophysics Division of INPE.

The conceptual project of SPARC4 is funded by the Foundation for Research Support of the São Paulo State (FAPESP).

Other Projects

In São José dos Campos (SP), are performed observational and theoretical research in diverse areas of astrophysics, with emphasis on instrumental development. Instrumental projects of Astrophysics Division (DAS/INPE) cover different bands of the electromagnetic spectrum, such as radio waves, infrared and optical radiation, X-rays and gamma, as well as gravitational wave detectors. Among its major projects under development include an X-ray imager, the Mirax, and the Brazilian Decimetric Array (BDA) for investigations of solar and cosmic phenomena.

INPE has the Brazil’s largest radio telescope in operation, landed in Atibaia (SP), and also contributes to the development of instrumentation for large telescopes such as SOAR (Southern Astrophysical Research), in Chile, whose mirror has more than 4 meters in diameter.

In collaboration with other Brazilian and foreign institutions, INPE researches and participates in the development of instruments for Cosmic Microwave Background (CMB) studies, to better understand the mechanisms responsible for the galaxies formation and other structures in the Universe. Moreover, INPE has graduate courses continually forming researchers in Astrophysics and extension courses for teachers and undergraduate students, with the aim of contributing to the popularization of astronomy in Brazilian society.

More on page www.das.inpe.br



Source: WebSite of the National Institute for Space Research (INPE)

OMNISYS Engenharia Vence Mais um Contrato do CLBI

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) de hoje (31/10) publicou uma “Extrato de Inexigibilidade de Licitação” da Agência Espacial Brasileira (AEB) tendo como objetivo a contratação de empresa especializada na prestação de serviços de engenharia para realinhamento eletrônico, Modernização dos subsistemas de Servomecanismo, Telemetria e Interfaces Locais dos Radares Adour e Bearn atualmente instalados no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), além de fornecimento de peças sobressalentes. Como não há outra opção no país a empresa escolhida foi OMNISYS ENGENHARIA LTDA. Abaixo segue o extrato como publicado no DOU.

Duda Falcão

AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA

EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO
Nº 19/2012 - UASG 203001

Nº Processo: 01350000168201250;
Objeto: Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de engenharia para realinhamento eletrônico, Modernização dos subsistemas de Servomecanismo, Telemetria e Interfaces Locais dos Radares Adour e Bearn atualmente instalados no CLBI, além de fornecimento de sobressalentes;
Total de Itens Licitados: 00001;
Fundamento Legal: Art. 25º, Inciso I da Lei nº 8.666 de 21/06/1993;
Justificativa: Por inviabilidade de competição (exclusividade);
Declaração de Inexigibilidade: em 30/10/2012, JOSE IRAM MOTA BARBOSA - Diretor de Planejamento, Orçamento e Administração;
Ratificação: em 30/10/2012, JOSE RAIMUNDO BRAGA COELHO - Presidente da AEB;
Valor Global: R$ 5.249.795,00;
CNPJ Contratada: 01.773.463/0001-59 OMNISYS ENGENHARIA LTDA.

(SIDEC - 30/10/2012) 203001-20402-2012NE800009


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 3 - pág. 13 - 31/10/2012

Comentário: Pois é leitor, infelizmente a OMNISYS Engenharia LTDA como no caso da AEL e da OPTOVAC são exemplos de empresas estratégicas que se beneficiaram durante décadas de recursos públicos e hoje não são mais brasileiras por terem sido vendidas a grupos estrangeiros. No caso da OMNISYS ao Grupo TALES Europeu. Insisto nisso porque isso é um crime em qualquer lugar do mundo (menos nessa casa de Mãe Joana que chamamos de Brasil) e como brasileiro me sinto lesado e infelizmente impotente para fazer algo a respeito, mas não de abordar aqui no blog esse assunto gravíssimo e não explorado pela nossa mídia. Lamentável!

Satélite Amazônia-1 - MCTI Envia Servidores a ARG e a FRA

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) de hoje (31/10) publicou diversos despachos do Ministro Marco Antônio Raupp (MCTI) enviando nove servidores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a Argentina e a França, para tratarem de ações relativas ao projeto do Satélite Amazônia-1. Abaixo seguem os despachos como publicados no DOU.

Duda Falcão

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA,
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

DESPACHO DO MINISTRO
Em 30 de outubro de 2012

DURVAL ZANDONADI JUNIOR, Tecnologista Sênior do INPE, participar, na qualidade de gerente de integração e testes do LIT, de ensaios na INVAP durante o desenvolvimento o Subsistema de Controle de Atitude e Supervisão de Bordo (ACDH) do satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

FABRÍCIO DE NOVAES KUCINSKIS, Tecnologista Pleno I do INPE, participar, na qualidade de responsável técnico pelo Software de voo de gerenciamento de bordo (OBDH) do satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

LEON LONNEUX, Tecnologista Sênior III do INPE, participar, na qualidade de responsável técnico pelo Hardware da eletrônica, de ensaios na INVAP durante o desenvolvimento do Subsistema de Controle de Atitude e Supervisão de Bordo (ACDH) do satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

LUIZ ALEXANDRE DA SILVA, Tecnologista Júnior I do INPE, participar, na qualidade de responsável técnico pelos aspectos operacionais de Software e interface com sistema de comunicação com o satélite - SATCS, de ensaios na INVAP durante o desenvolvimento do Subsistema de Controle de Atitude e Supervisão de Bordo (ACDH) do satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

ROBERTO VIEIRA DA FONSECA LOPES, Tecnologista Sênior III do INPE, participar, na qualidade de fiscal de contrato e responsável pelo subsistema de ensaios na INVAP durante o desenvolvimento do Subsistema de Controle de Atitude e Supervisão de Bordo (ACDH) do satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

WALTER EINWOEGERER, Tecnologista Pleno do INPE, participar, na qualidade de responsável por Hardware EGSE, de testes de aceitação em fábrica (FAT) do conjunto de engenharia do Satélite Amazônia-1, em San Carlos de Bariloche, Argentina, no período de 24.10 a 30.10.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

*****     *****

IVAN LAURINDO TOSETTO JÚNIOR, Tecnologista Pleno II do INPE, participar, na qualidade de Engenheiro Técnico responsável pelo funcionamento do Subsistema AWDT (AWFI Data Transmitter) do satélite Amazônia-1. Como gerente técnico substituto do contrato TWTA/AWDT, das atividades de Revisão de Aceitação (AR-Acceptance Review) para recebimento dos equipamentos TWTA, modelo de voo, em Vélizy, França, no período de 27.10 a 02.11.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

RODOLFO ANTONIO DA SILA ARAÚJO, Tecnologista Sênior III do INPE, participar, como responsável pelo subsistema AWDT (AWFI Data Transmitter) do satélite Amazônia-1, gerente técnico do contrato TWTA/AWDT com a empresa Thales e especialista em RF e Microondas das atividades de Revisão de Aceitação (AR-Acceptance Review) para recebimento dos equipamentos TWTA modelo de vôo, em Vélizy, França, no período de 27.10 a 02.11.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

SÉRGIO NORIO ITAMI, Tecnologista Sênior III do INPE, participar, na qualidade de responsável pela Garantia do Produto, da revisão de Aceitação para recebimento dos equipamentos TWTA, Modelo de voo do subsistema AWDT do satélite Amazônia-1, em Vélizy-Villacoublay, França, no período de 27.10 a 02.11.2012, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

MARCO ANTONIO RAUPP


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 2 - pág. 07 - 31/10/2012

Comitê Inicia Processo de Edital para Satélite SGDCE

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (31/10) no site “Valor Online” destacando que o Comitê Gestor do projeto do “Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDCE/BRsat1) inicia o processo de Edital para o satélite.

Duda Falcão

Comitê Inicia Processo de Edital para Satélite

Por Virgínia Silveira
Para o Valor de São Paulo
31/10/2012 - Há 11 horas e 19 minutos

O comitê gestor do projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas pretende entregar, nas próximas duas semanas, o termo de referência que servirá de base para a elaboração do edital de compra do equipamento no exterior. A previsão é que a escolha do fornecedor seja anunciada no começo de 2013.

De acordo com o diretor de planejamento e investimentos estratégicos da Agência Espacial Brasileira, Petrônio Noronha de Souza, o documento será encaminhado para a Visiona Tecnologia Espacial, uma associação entre a Telebrás e a Embraer, criada para fazer o gerenciamento dos contratos com os fornecedores do satélite.

A Visiona, segundo Souza, terá ainda a responsabilidade de criar as oportunidades de transferência de tecnologia, que serão colocadas em prática a partir do segundo satélite, já que o primeiro está sendo comprado em caráter de urgência pelo governo brasileiro. "O decreto presidencial pede que o lançamento seja feito até o fim de 2014", disse o diretor durante uma palestra realizada em São José dos Campos, na segunda-feira.

O satélite vai operar em banda ka, para atender as demandas do setor de telecomunicações, o Plano Nacional de Banda Larga e a banda X - cinco transponders para as comunicações estratégicas do governo e das Forças Armadas. O custo do satélite, estimado em R$ 720 milhões, não inclui a transferência de tecnologia, que será tratada à parte.

A Agência Espacial ficará responsável por toda a parte que envolve a capacitação da indústria nacional e das instituições de pesquisa em tecnologias consideradas críticas e que estão ligadas ao satélite.

A lista de tecnologias de interesse do governo brasileiro ainda está sendo preparada, mas Souza adiantou que o programa espacial brasileiro tem muito interesse em capacitar ou melhorar a tecnologia nas áreas de propulsão de satélites, controle de altitude e órbita, gerenciamento de cargas úteis e gateways (antenas que ficam em solo e fazem a comunicação com o satélite).

O diretor da Agência Espacial disse que o processo de aquisição do segundo satélite deve acontecer cinco anos após o lançamento do primeiro. A vida útil estimada para o equipamento é de 15 anos. Segundo o Valor apurou, a Visiona já teria recebido informações de potenciais fornecedores do satélite, dentro de um processo de pesquisa junto a potenciais parceiros comerciais.

Entre os fabricantes internacionais interessados no projeto estão as empresas europeias Astrium, do grupo EADS, e Thales Alenia Space. As americanas Space Systems Loral e Boeing também integram a lista de interessados em fornecer o satélite para o Brasil.


Fonte: Site “Valor Online” - 31/10/2012

Comentário: Que lambança leitor. Realmente desestimulante tudo que está acontecendo com esse projeto e com o Programa Espacial Brasileiro como um todo. Talvez o maior ciclo de incompetência dirigida ou não em toda história da Astronáutica mundial. Não é por acaso que essas empresas estrangeiras estão em volta como urubus que procuram carniça, já que com toda essa confusão a possibilidade deles ganharem recursos com esse projeto é bem acima do normal, sagrando mortamente uma vez mais o erário público brasileiro. Confesso que não acredito mais que essa iniciativa traga algum beneficio ao país e como já vínhamos dizendo há quase dois anos, a sua previsão de lançamento em 2014 é tão provável quanto à existência de Papai Noel. Enquanto isso na Argentina, o seu Programa de Satélites vai de vento em popa. Entre os dias 16 e 17/10 eles realizaram revisão técnica do projeto SAOCOM no Centro Espacial Teófilio Tabanera, em Córdoba, e em agosto passado eles já haviam terminado a campanha de qualificação do modelo estrutural do futuro satélite de telecomunicações argentino, o ARSAT-1 (campanha essa realizada curiosamente no LIT brasileiro), sem contar o lançamento do SAC-D/Aquarius ocorrido recentemente. No Brasil, o CBERS-3 que já tem cinco anos de atraso, apresentou problema e não deverá ser mais lançado em 2012. Já o Amazônia-1, esse tem mais de 30 anos de desenvolvimento e está previsto (se alguém acredita) para ser lançado em 2013. Os outros satélites previstos são novelas tão incertas nesse governo desastroso que só mesmo Deus pode apresentar alguma previsão mais realista. Para piorar todo esse quadro, nem mesmo a nossa Petição Pública da ACS vem tendo a repercussão que esperávamos o que é desestimulante também. Estou me cansando disso tudo.

CLA Lança Hoje o Sexto Foguete de Treinamento

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (31/10) no site da Força Aérea Brasileira (FAB) informando que o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA),  lança hoje, o sexto Foguete de Treinamento Básico (FTB).

Duda Falcão

TECNOLOGIA

CLA Lança Nesta Quarta-Feira o
Sexto Foguete de Treinamento

31/10/2012 - 10h23

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, lança nesta quarta-feira (31/10), o sexto Foguete de Treinamento Básico (FTB) deste ano. O lançamento faz parte da Operação Falcão VI. O objetivo do lançamento é o treinamento operacional do Centro de Lançamento e, ainda, a obtenção de dados para a qualificação e a certificação do veículo. O Foguete de Treinamento Básico faz parte do projeto FOGTREIN desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial em parceria com a indústria aeroespacial nacional.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB)

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Petição da ACS Pronta, Agora é Com Todos Nós - Assinem

Caros leitores!

Chegou a hora, está pronta a Petição Pública online intitulada “ACS - Mudanças Já ou o Detrato do Acordo” que está sendo direcionada à “Presidência da República” e ao “Congresso Nacional”, visando à realização de mudanças que venham tornar esse acordo espacial com a Ucrânia (que criou a mal engenhada empresa bi-nacional  ACS - Alcântara Cyclone Space), numa iniciativa realmente viável para o Brasil, ou então (caso essas mudanças não sejam aceitas pela parte ucraniana) o efetivo e inegociável destrato desse acordo “CANDIRU”.

Agora só depende de todos nós que só unidos poderemos vencer essa luta 'herculana' contra essas forças obscuras e malignas que lutam contra o desenvolvimento científico e tecnológico de nosso país. Para tanto, contamos não só com a sua assinatura, como também no apoio na divulgação dessa petição nas redes sociais, entre seus familiares e amigos e em toda internet, para que assim consigamos um número expressivo de assinaturas que venham balançar as estruturas políticas de nossa obscura capital federal.

A sorte está lançada e em nosso caso ela caminha ao lado do apoio que venhamos ter de todos vocês. Assim sendo, assinem a Petição clicando aqui e vamos divulga-la.

Viva ao Brasil

Vida Longa ao
PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO

e

Lembre-se que o Joaquim Osório Duque Estrada já dizia:

“Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte”

Está ai amigos a oportunidade de vocês provarem que ele estava certo.

Duda Falcão

OBS: Aproveitamos para agradecer publicamente a efetiva e crucial ajuda do leitor Marcos Ricardo e de todos que colaboraram na elaboração desse simplório, porém objetivo documento. Obrigado a todos vocês.

OPTO – Tecnologia Nacional no Espaço e Defesa

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (30/10) no site “www.defesanet.com.br“, dando destaque a empresa brasileira “OPTO Eletrônica S/A”, grande referência da tecnologia nacional nas áreas de Espacial e de Defesa.

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - BASE INDUSTRIAL DEFESA - TECNOLOGIA

OPTO – Tecnologia Nacional no Espaço e Defesa

A empresa OPTO Eletrônica SA eleva a novos patamares a tecnologia
nas áreas de espaço e defesa . é a principal fornecedora de
optrônicos para as forças armadas brasileiras e
referência no ramo na América Latina

DefesaNet
30 de outubro, 2012 - 15:31 ( Brasília )

Fotos: OPTO
Ministro Amorim recebe detalhes dos técnicos
da OPTO na visita do dia 22 de outubro

A OPTO recebeu, no dia 22 de Outubro,   a visita do ministro da Defesa Celso Amorim, acompanhado de uma comitiva do Ministério e de integrantes do Comando da Aeronáutica. Os visitantes percorreram as instalações da unidade e conheceram equipamentos produzidos pela companhia nas áreas médica, aeroespacial e de defesa. “As contribuições da Opto para a sociedade brasileira são extraordinárias”, afirmou o ministro.

Espaço

Os integrantes do Ministério e oficiais foram recebidos pela alta direção da OPTO. A visita teve como objetivo conhecer o segundo modelo de vôo da câmera de imageamento para satélite MUX, que seguirá para a China e irá equipar o satélite sino-brasileiro CBERS-4.  A OPTO, empresa de tecnologia 100% nacional, é a principal fornecedora de optrônicos para as forças armadas brasileiras e referência no ramo na América Latina.

A câmera de imageamento para satélite MUX,  é considerada por especialistas independentes, como um marco da engenharia nacional.  Trata-se da primeira câmera no gênero inteiramente desenvolvida e produzida no País. O equipamento, feito na matriz da Opto, em São Carlos, coloca o Brasil entre os 10 países do mundo a dominar a tecnologia de imageamento aeroespacial. De nome MUX (de multiespectral), a câmera é destinada ao monitoramento ambiental e gerenciamento de recursos naturais.

A MUX pesa mais de 120 kg e é capaz de fazer imagens com 20 metros de resolução do solo, a mais de 750 km de altitude. Desconsiderando a curvatura da Terra e as nuvens (para exemplificar), seria como se, de São Carlos/SP, fosse possível enxergar um ônibus em Brasília/DF. A faixa de largura imageada, extensão do território visto em uma linha na imagem, é de 120 km de largura.

A primeira câmera MUX foi enviada pela OPTO  Eletrônica, à China,  em março deste ano. Ela irá equipar o satélite sino-brasileiro CBERS 3. O satélite CBERS 3 tem lançamento programado para novembro deste ano e será levado à órbita por meio do foguete chinês “Longa Marcha”.

Foram construídas versões sucessivas de protótipos, denominadas modelos de engenharia, de qualificação e de voo (modelo final) da câmera MUX. O modelo de qualificação, por exemplo, foi exaustivamente testado (como em provas extremas de choque e vibração). O objetivo da bateria de testes e ensaios foi assegurar que o projeto (e consequentemente o equipamento) suporta as cargas de lançamento e as condições de temperatura, radiação e vácuo no espaço, além de verificar se ele atende aos requisitos de envelhecimento e compatibilidade eletromagnética com os outros sistemas do satélite, mantendo sempre o melhor desempenho funcional.

O ministro Celso Amorim demonstrou apreço pelas inovações produzidas dentro da companhia. “A contribuição da OPTO, por todas as coisas que eu vi nas aplicações médicas, na área de defesa, com o satélite de observação da Terra que nós temos em parceria com a China, são contribuições extraordinárias. O que a OPTO faz é estratégico para o País, sobretudo do ponto de vista da [área de] Defesa.”

Defesa e Segurança Pública

Entre os equipamentos produzidos pela Opto para a área de Defesa, estão as Espoletas Ativas de Proximidade dos Mísseis Ar-Ar Piranha MAA-1 (homologado desde 1998), do MAA-1B, e do Míssil Antirradiação MAR. Estes sistemas têm a função de detectar a presença do alvo dentro do alcance da cabeça de guerra do míssil. A Opto também desenvolveu a Óptica da Unidade de Apontamento e Guiamento (UAG) e sistema de imagem termal (EITMSS, com uso de detectores refrigerados criogenicamente) do Míssil Solo-Solo MSS-1.2, a pedido do Exército Brasileiro.

A empresa integra ainda o projeto de desenvolvimento do Imageador Infravermelho (seeker) do Míssil de 5ª. Geração A-Darter, competidor direto do AIM-9X (EUA), IRIS-T (Consórcio Europeu) e do ASRAAM (Inglaterra). O projeto é fruto de uma parceria entre o Brasil e a África do Sul.  Há ainda o Monóculo Termal VDNX-1, considerado um dos mais leves e compactos do mundo – podendo ser acoplado a capacetes e vários armamentos –, indispensável no combate ao tráfico de drogas em regiões de fronteira, por exemplo.

A área Aeroespacial e de Defesa da OPTO conta com modernas instalações para montagem, integração de subsistemas, realização de testes ópticos de precisão, além de ampla gama de instrumentos para desenvolvimento de avaliações e validação de sistemas optoeletrônicos embarcados, que asseguram a conformidade com os padrões e protocolos mais rigorosos do setor.

Ao final da visita, o ministro recebeu uma homenagem dos funcionários da companhia, por meio de uma placa (afixada ao lado da Sala Limpa da empresa), e de uma reprodução desta em miniatura, presenteada ao ministro.

Diretor da OPTO e Ministro Amorim descerram
placa comemorativa da visita
A câmera de imageamento para satélite MUX, é considerada
por especialistas independentes, como um marco da
engenharia nacional. A foto da primeira MUX sendo preparada
para envio à China, Março 2012, para ser incorporada ao
CBERS 3, que deverá ser lançado em Novembro
A Opto também desenvolveu a Óptica da Unidade de
Apontamento e Guiamento (UAG) e sistema de imagem
termal (EITMSS), com uso de detectores refrigerados
criogenicamente) do Míssil Solo-Solo MSS-1.2,
a pedido do Exército Brasileiro.



Comentário: Realmente a Opto é uma grande referência para o Brasil, como era a AEL e a OPTOVAC, mas que foram adquiridas por empresas estrangeiras após se beneficiaram por décadas de recursos públicos para desenvolver suas tecnologias. Situação que constitui crime contra o patrimônio tecnológico do país e que aconteceu com consentimento ou por omissão do governo brasileiro. E pior, aparentemente ambas as empresas vem sendo tratadas pelo governo com o status de empresas nacionais sem serem, o que abre para elas diversas portas. Por que será leitor? Sinceramente torço e espero que isso não venha acontecer com a OPTO.

INPE Realiza XII Workshop de Computação Aplicada

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/10) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informando que o “Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada” do instituto promoverá entre os dias 06 e 08/11 o “XII Workshop de Computação Aplicada (WorCAP 2012)”.

Duda Falcão

INPE Realiza XII Workshop
de Computação Aplicada

Terça-feira, 30 de Outubro de 2012

O Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (LAC/INPE) promove o XII Workshop de Computação Aplicada entre os dias 06 e 08 de Novembro de 2012. O WorCAP 2012 acontece no Auditório Fernando de Mendonça do Laboratório de Integração e Testes (LIT/INPE), em São José dos Campos.

No evento serão apresentados trabalhos de dissertações e teses em andamento dos alunos regularmente matriculados no programa de Computação Aplicada (CAP) do INPE. O objetivo é promover a interação e discussão das pesquisas em desenvolvimento entre discentes e docentes.

As inscrições podem ser realizadas através do e-mail worcap@inpe.br até o dia 05 de novembro, enviando nome completo e CPF.

A programação do workshop e outras informações estão disponíveis na página http://www.lac.inpe.br/worcap/index.php



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

INPE Divulga Resultados Provisórios de Concurso

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/10) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informando que foi divulgado os resultados provisórios da avaliação de currículo e prova oral do Concurso da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico.

Duda Falcão

INPE Divulga Resultados Provisórios
da Avaliação de Currículo e Prova Oral
do Concurso da Carreira de
Desenvolvimento Tecnológico

Terça-feira, 30 de Outubro de 2012

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) publica os resultados provisórios da avaliação de títulos e currículo e da prova oral para todos os cargos, além da defesa pública de memorial para os cargos de Tecnologista Sênior, referentes ao concurso público da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico. Confira aqui

Todas as informações sobre esta seleção, destinada ao preenchimento de 22 vagas de tecnologistas (nível superior) e 40 vagas de técnicos (nível médio) no INPE, estão disponíveis na página:
carreira_desenvolvimento.php


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Equipe de Bauru Vence Olimpíada Brasileira de Foguetes

Olá leitor!

Segue abaixo uma noticia postada dia (29/10) no site da “Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)” destacando que a Equipe de Alunos de Bauru venceu  a “Olimpíada Brasileira de Foguetes 2012”.

Duda Falcão

Equipe de Alunos de Bauru Vence
Olimpíada Brasileira de Foguetes 2012

Máquina construída pelos estudantes
alcançou 120 metros de altura

Assessoria de Comunicação e Imprensa da UNESP
com informações da Agência FAPESP
29/10/2012

info.abril.com.br
Os alunos Keise Pereira, Giovana Nogueira, Jônatas Cardador e Leonardo de Almeida, todos do 3º ano de Eletrônica Integrada do CTI - Colégio Técnico Industrial vinculado à UNESP de Bauru, formaram a equipe que ficou entre as seis melhores da Olimpíada Brasileira de Foguetes 2012.

A competição não tem um único vencedor. As seis melhores equipes são premiadas com o troféu. Os alunos foram orientados pela professora de Física Flávia Queiroz Costa, e o foguete construído por eles alcançou 120 metros de altura na decolagem. A Olimpíada aconteceu do dia 18 ao 21 de outubro em Barra do Piraí, RJ.

“Queremos agradecer à Reitoria da UNESP e a Associação de Pais e Mestres do CTI que nos forneceram a ajuda de custo necessária para participar do evento”, diz Rosinaura Memari, diretora do CTI. “Os alunos estão radiantes e disseram que a experiência foi importantíssima na formação técnica deles.”

Além de material didático, os vencedores receberam um troféu em formato do foguete brasileiro Sonda III. A iniciativa é da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e conta com o apoio da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), da Agência Espacial Brasileira (AEB), da Fundação Marcos Pontes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O programa teve palestras de astrônomos e especialistas em astronomia e astronáutica, além de oficinas didáticas. As atividades deram destaque especial à fabricação e à utilização dos foguetes brasileiros na área de pesquisa espacial.

Os grupos foram selecionados a partir da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), antiga Olimpíada Brasileira de Foguetes (OBFOG). A edição de 2012 recebeu, aproximadamente, 40 mil participantes. A MOBFOG é aberta aos alunos de escolas públicas e privadas. A finalidade é avaliar a capacidade dos jovens de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa pet ou de canudo de refrigerante.

Somente os participantes do nível 4 (projetos de foguetes de garrafa pet) são convidados para a Jornada. Além da distância dos protótipos, registrados em vídeo, os trabalhos também são avaliados por meio dos relatórios enviados pelos estudantes e professores à coordenação da MOBFOG. Caso a escola esteja dentro das regras e atinja o objetivo, é indicada.

Durante o evento, os participantes apresentaram os foguetes de garrafa pet que construíram para a MOBFOG. Os projetos foram lançados em uma pista de pouso de um hotel-fazenda.

Para a execução da prova, o material é devidamente fixado na base, que deve ser presa ao chão com grampos. Em inclinação de 45º, é apontado em direção livre de pessoas, árvores altas, fios elétricos, estabelecimentos ou residências, mantendo todos afastados em um diâmetro de 10 metros.

Para o combustível, usa-se a força de empuxo gerada a partir do gás produzido pela mistura química de vinagre com bicarbonato de sódio (fermento em pó). Os vencedores são definidos a partir da combinação ideal entre o volume do material, a quantidade e o tamanho das aletas, o ângulo de lançamento, a direção do vento e o tamanho e o peso do foguete.

Tanto na Jornada quanto na Mostra, utiliza-se como combustível uma mistura química de vinagre com bicarbonato de sódio.

Os vencedores são definidos a partir da combinação ideal entre o volume do material, a quantidade e o tamanho das aletas, o ângulo de lançamento, a direção do vento e o tamanho e o peso do foguete.

O júri foi composto pelos professores de todas as equipes presentes. A banca examinadora analisou s seguintes pontos: acabamento e originalidade do foguete; acabamento e originalidade da base; segurança e apresentação da equipe participante.

Segundo Pâmela Marjorie Coelho, coordenadora da MOBFOG, o objetivo do evento é estimular a investigação científica na área de Física ligada à Engenharia de Foguetes, Aeroespacial e Astronáutica. “A ideia é envolver os participantes num problema sem solução predefinida e que depende essencialmente da experimentação”, disse.

Dicas para montagem de foguetes de garrafa pet estão disponíveis em www.youtube.com/watch?v=XUvaInLS0gU

Mais informações: www.oba.org.br e coord.obfog@gmail.com


Fonte: Site da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) 

Astrônomo Brasileiro Descobre "Superestrela" Rara

Olá leitor!

Segue uma matéria postada hoje (30/10) no site do jornal “Folha de São Paulo” destacando que astrônomo brasileiro descobre “Superestrela” rara.

Duda Falcão

Ciência

Brasileiro Descobre "Superestrela" Rara

Batizada de WR42e, o astro provavelmente tem elementos químicos
essenciais à formação e desenvolvimento da vida como ela é conhecida

GIULIANA MIRANDA
DE SÃO PAULO
30/10/2012 – 05h05

Um astrônomo brasileiro conseguiu encontrar, no meio das mais de 200 bilhões de estrelas da Via Láctea, um astro que é particularmente especial: uma grandalhona com pelo menos cem vezes a massa do nosso Sol.

E mais: a estrela parece ter sido "expulsa" da região em que se formou, estando agora isolada a cerca de 25 mil anos-luz daqui.

Astros tão maciços são difíceis de encontrar, pois são muito raros e têm vida relativamente curta.

"É como encontrar um grão de areia especial no meio de uma praia inteira", explica Alexandre Roman Lopes, autor da descoberta e pesquisador da Universidade de La Serena, no Chile. Ele é especialista em encontrar esses monstrengos espaciais.

Editoria de Arte/Folhapress

A estrela descoberta, batizada de WR42e, provavelmente tem elementos químicos essenciais à formação e desenvolvimento da vida como a conhecemos. E, na explosão que marca a morte das grandes estrelas, eles deverão se espalhar pelo espaço.

Por isso, explica o astrônomo, a descoberta poderá ajudar no "entendimento de como os elementos químicos se formam, e até a evolução da nossa própria galáxia".

Apesar de grande, ela é novinha em termos galácticos: tem apenas 1 milhão de anos. Com 4,6 bilhões de anos, nosso Sol, por outro lado, já é um veterano.

A vida, no entanto, será bem mais curta para o astro.

Quanto maior uma estrela é, mais rápido ela consome o combustível de seu núcleo. Acredita-se que o fim da linha para esse parrudo objeto seja, na melhor das hipóteses, daqui a um milhão de anos. Praticamente amanhã quando se trata de astronomia.

DESPEJADO

A superestrela se formou no aglomerado NGC3603, localizado mais ou menos do outro lado da galáxia. A região é uma espécie de berçário estelar, onde vários astros se concentram em um espaço reduzido.

Tanta proximidade causa interações gravitacionais poderosas e, para o astrônomo brasileiro, foi numa dessas que a grandalhona acabou "chutada" para a periferia desse sistema.

Essa proposição foi publicada agora no "Monthly Notices of the Royal Astronomical Society", baseada em observações do telescópio Soar, também no Chile.

Na opinião de Claudio Bastos, astrônomo do ON (Observatório Nacional) que não está envolvido com o estudo, a descoberta dessa gigante pode ajudar a revisar as teorias de formação estelar.

"É uma descoberta interessante, pois se trata de um objeto extremamente raro. A observação sempre coloca em xeque as teorias. Vamos ver até onde os modelos conseguem se encaixar", explica.


Fonte: Site do Jornal Folha de São Paulo - 30/10/2012

Cancelada Reunião do Cons. de Altos Estudos Sobre o PEB

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (30/10) no site da “Agência Câmara de Notícias” destacando que "Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica" cancelou a reunião para debater a Política Espacial Brasileira que estava prevista para acontecer nesta quarta-feira.

Duda Falcão

Cancelada Reunião do Conselho de Altos
Estudos Sobre Política Espacial

Agência Câmara de Notícias
Da redação/MW
30/10/2012 - 10:45

O Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica cancelou a reunião que faria na quarta-feira (31), às 15 horas, para debater a política espacial brasileira com o presidente da Agência Espacial Brasileira, José Raimundo Braga Coelho. O presidente fará uma cirurgia de última hora e não poderá comparecer.

O conselho é um órgão técnico-consultivo da Câmara dedicado à análise de projetos e programas governamentais estratégicos para o planejamento de políticas públicas e a formulação de diretrizes legislativas. O colegiado é composto por 11 parlamentares.


Fonte: Site da Agência Câmara de Notícias

Comentário: Essa gente gosta de conversa, mas de ação são outros quinhentos. A Política Espacial Brasileira vem sendo debatida desde os anos 90 e nada até agora foi feito por esses energúmenos para mudar a situação. O próprio Conselho em questão elaborou um grande estudo sobre o assunto apontando os problemas e soluções para o PEB e lá vamos nós de novo para essas reuniões infrutíferas que só servem mesmo para que eles tirem fotos e apareçam na mídia com seus paletós tipo italiano. Uma vergonha. Agradecemos a um leitor anônimo que nos enviou essa lamentável notícia. 

Brazucas Caçam Plutão para Proteger Nave Americana

Olá leitor!

Segue uma matéria postada dia (29/10) no site do jornal “Folha de São Paulo” destacando que um grupo de astrônomos brasileiros do Observatório Nacional (ON) então caçando o Planeta Plutão para proteger a espaçonave americana “New Horizons”.

Duda Falcão

Ciência

Grupo "Caça" Plutão para
Proteger Espaçonave

Astrônomos precisaram posição do astro
para evitar choque com sonda americana

SALVADOR NOGUEIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
29/10/2012 – 05h17

Em julho de 2015, a sonda americana New Horizons passará zunindo pelas proximidades de Plutão e suas luas. A trajetória coloca a espaçonave a grande proximidade do planeta anão, para maximizar a qualidade das observações científicas. Mas e se houver um erro de cálculo na posição exata do astro? Pode dar zebra?

Por incrível que pareça, apesar de Plutão ter sido descoberto no longínquo ano de 1930, e ter sido alvo constante de observações desde então, essa é uma possibilidade. "Nas efemérides [plutonianas] há uma falta de confiabilidade muito grande", explica Roberto Vieira Martins, astrônomo do Observatório Nacional, no Rio de Janeiro. "Isso porque ninguém costuma corrigir os dados em função da refração [causada pela atmosfera]."

Para preencher essa lacuna, Vieira Martins e seus colegas fazem sistematicamente um esforço de monitorar Plutão e tentar executar essa correção apropriada dos dados, de forma a dar mais confiança às estimativas de posição e distância do planeta anão.

Nasa/Divulgação
Concepção artística mostra a sonda americana
New Horizons, com Plutão ao fundo
As medições são feitas nas ocasiões em que Plutão passa à frente de outra estrela mais distante. Ao acompanhar a variação de brilho e o sumiço temporário da estrela no céu, os pesquisadores conseguem dados importantes acerca da dinâmica do sistema plutoniano, que, além do planeta anão, inclui pelo menos quatro luas.

O trabalho, que até agora envolveu 151 noites de observação no Observatório Pico dos Dias, em Itajubá (MG), e mais 13 noites no telescópio de 2,2 metros do ESO (Observatório Europeu do Sul), compreendendo um período total de 17 anos, foi apresentado por Gustavo Benedetti-Rossi, também do ON, durante a 37ª Reunião Anual da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em Águas de Lindoia (SP).

Monitorando com precisão e de forma sistemática possíveis interferências causadas pela atmosfera da Terra, ou mesmo interações entre Plutão e Caronte (a maior de suas luas), os pesquisadores brasileiros puderam "filtrar" os erros das observações, permitindo uma determinação mais precisa da posição do astro.

Além disso, os pesquisadores notaram uma possível (mas ainda não confirmada) variação periódica na posição de Plutão, que segue sem qualquer explicação. "Pode ser um efeito observacional [ou seja, algum erro que ainda não foi "filtrado" dos dados], pode ser um efeito real da dinâmica do sistema. Não sabemos", diz Vieira Martins.

De toda forma, quanto mais consistente for o cálculo da posição de Plutão, mais segurança ele trará para a New Horizons. É fato que a Nasa ligará os sensores da nave quando ela estiver se aproximando, a fim de fazer quaisquer correções de curso de última hora.

Contudo, melhorar os dados da órbita do planeta anão ajuda a dar a certeza de que a ligação programada dos sistemas a bordo não aconteça num ponto do voo em que a correção desejada já seria inviável. 


Fonte: Site do Jornal Folha de São Paulo - 29/10/2012

Comentário: Pois é leitor, olha eles de novo ai. Vira e mexe tem uma notícia significativa dessa atuante Comunidade Astronômica Brasileira. Parabéns a esse grupo de astrônomos brasileiros do ON que além de está protegendo a nave americana, está também acumulando experiência no desenvolvimento do conhecimento sobre trajetória de veículos em ambiente espacial, que se não me engano também está sendo estudado na UNESP pelo grupo do pesquisador Othon Winter, que tem como objetivo a Missão ASTER.