sábado, 19 de agosto de 2017

AEB Promove Fórum de Educação e Aplicações em Tecnologia Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada ontem (18/08) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que a Agencia irá promover em parceria com instituições internacionais o “I Fórum do Hemisfério Sul em Educação e Aplicações em Tecnologia Espacial”.

Duda Falcão

AEB Promove Fórum de Educação e
Aplicações em Tecnologia Espacial

Coordenação de Comunicação Social – CCS
18/08/2017


A Agência Espacial Brasileira (AEB), em parceria com o Centro Regional de Ciência e Tecnologia Espacial da América Latina e do Caribe (CRECTEALC) e o Centro Regional de Ciência Espacial e Tecnologia Educacional da Ásia e do Pacífico (RCSSTEAP), promove o I Fórum do Hemisfério Sul em Educação e Aplicações em Tecnologia Espacial.

No encontro que acontece dias 21 e 22 de agosto na sede da AEB e 23 e 24 na UnB, Campus Gama-DF, serão discutidos os avanços na formação de competências na área espacial e desenvolvimento na área educacional.

O evento conta com a parceria do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE), o Centro Regional de Ciência e Tecnologia Espacial da América Latina e do Caribe (CRECTEALC), o Centro Regional de Ciência Espacial e Tecnologia Educacional da Ásia e do Pacífico (RCSSTEAP) e a Universidade de Beihang (BUAA).

O diretor da área de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Carlos Alberto Gurgel, afirma que o Fórum tem intuito educativo. “O evento terá como finalidade ensinar a importância do espaço na nossa vida cotidiana para novas gerações de todas as regiões do planeta”, ressaltou.

Em visita à AEB em maio deste ano, o diretor executivo da RCSSTEAP, Weng Jingnong, falou da importância do Fórum. “Será muito útil para desenvolver o uso de tecnologias espaciais e também para compartilhar a ideia de promover o uso pacífico delas”, lembrou.

O Fórum destina-se a professores, pesquisadores, alunos e agentes públicos interessados na formação de recursos humanos para o desenvolvimento de aplicações espaciais e no debate sobre a conscientização acerca da importância da educação sobre o espaço, como promotora de desenvolvimento tecnológico gerador de externalidades positivas no meio social.

O encontro servirá de estímulo à concepção de ações específicas, despertando vocações no corpo discente e propondo mecanismos eficazes para o estreitamento de alianças locais e regionais entre stakeholders de crítica relevância para o setor (centro regionais, universidades, institutos de pesquisa e agências espaciais).

Clique aqui e confira as informações e programação completa do evento.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Engenheiro do INPE Recebe Prêmio Internacional na Área de Pesquisas em Produção

Caro leitor!

Segue agora abaixo leitor uma notícia postada ontem (17/08) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Engenheiro do instituto recebeu Prêmio Internacional na Área de Pesquisas em Produção.

Duda Falcão

Engenheiro do INPE Recebe Prêmio
Internacional na Área de Pesquisas
em Produção

Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

Engenheiro do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), João Paulo Estevam de Souza foi premiado pela International Foundation for Production Research (IFPR), a principal instituição do mundo na área de Pesquisas em Produção.

Concedido a cada dois anos pela prestigiada entidade científica, o “Early Career Researchers Award” foi entregue no dia 2 de agosto durante a cerimônia de encerramento da 24th International Conference on Production Research (ICPR), em Poznan, Polônia.

O prêmio considerou suas pesquisas sobre Sistemas de Gestão da Qualidade Aeroespacial, Sistemas de Manufatura Enxuta e Sistemas de Gestão da Sustentabilidade.

Durante a conferência, João Paulo apresentou o artigo "Lean Integrated Management System: a model for sustainability improvement", sobre resultados de suas pesquisas realizadas no INPE e ITA. Ele foi convidado pela IFPR a realizar palestra no próximo evento da entidade em Chicago, Estados Unidos.

Doutor em Engenharia Aeronáutica e Mecânica pelo ITA, João Paulo Estevam de Souza atua no Serviço de Engenharia da Qualidade da Coordenação Geral de Engenharia e Tecnologias Espaciais do INPE.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Aos 17 anos, Blumenauense é Uma das Cotadas Para Representar o Brasil em Olimpíada Internacional de Astronomia no Chile

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada ontem (17/08) pelo site do “Jornal de Santa Catarina” destacando que jovem Blumenauense de 17 anos é uma das cotadas para representar o Brasil em olimpíada internacional de Astronomia no Chile.

Duda Falcão

Educação

Aos 17 anos, Blumenauense é Uma das
Cotadas Para Disputar Olimpíada de Astronomia

Helena Buschermöhle integra uma espécie de "Seleção Brasileira" do assunto

Por Aline Camargo
Jornal de Santa Catarina
17/08/2017 - 07h12
Atualizada em 17/08/2017 - 10h51

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Olhar para o céu em noites estreladas, além de encantar, sempre dá motivos para a estudante Helena Buschermöhle, 17 anos, refletir. Encarando os astros em seu momento mais brilhante aos olhos de quem está na Terra – à exceção do Sol, é claro –, ela gosta de pensar em como as coisas funcionam. E quando o dia amanhece, ela estuda sobre como as coisas funcionam. Foi esta curiosidade que lhe garantiu um lugar na equipe de estudantes que forma uma espécie de Seleção Brasileira de Astronomia e Astrofísica e que vai disputar a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (Olaa) no Chile.

O caminho até a vaga foi longo e começou muito antes dela planejar competir usando seus conhecimentos. Helena sempre questionou o porquê das coisas e como elas funcionavam. Daí para a Física e para a Astronomia foi mais um passo:

– (A Física) É uma espécie de manual de instruções da natureza, que se torna muito divertido quando você aprende a ler. Sempre tive interesse por Astronomia, pois é quase impossível olhar para uma noite estrelada e não se maravilhar. E a Astrofísica é basicamente Física aplicada às coisas mais legais do universo.

O entusiasmo pelos astros cresceu no início do ensino médio, quando ela começou a participar da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), evento no qual ela esteve três vezes e conquistou uma medalha de ouro e duas de bronze. 

Após a classificação na OBA, Helena iniciou os testes para integrar o "time Brasil", que consistem em treinamentos e provas a cada dois meses até a seleção final, onde definem-se os 29 estudantes que vão compor as equipes principais que disputam a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) – do 1º ao 5º classificados – e a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (Olaa) – do 6º ao 10º colocados. Os outros 19 estudantes formam o grupo de suplentes. Helena é suplente do grupo que vai disputar a Olaa.

Engenharia Aeroespacial Está Entre os Planos Para o Futuro

Agora aluna de um curso pré-vestibular, Helena não para enquanto espera um chamado para a competição. Para estar entre os 29 selecionados ela contou com o apoio e o auxílio não apenas dos professores, da coordenadora Silvana Silva Busetti e da diretora do Colégio Sagrada Família, irmã Ana Besel, onde estudou a vida toda. Também teve a ajuda de especialistas da área, como o astrônomo de Florianópolis Alexandre Amorim, o astrônomo Silvino de Souza, coordenador do Observatório Astronômico de Brusque, e o professor Eslley Escatena, da UFSC.

O foco é ingressar no ensino superior. Ela quer estudar Engenharia Aeroespacial ou Astrofísica e atualmente participa do processo de seleção para universidades americanas, com as quais está envolvida desde o início do ano.

– Meu sonho é estudar fora, voltar e aplicar este conhecimento aqui – conta a estudante, que vê a Ciência como forma de desenvolvimento para o país.

Informada sobre diversos assuntos, Helena acredita que a Ciência está diretamente ligada à criatividade, uma das principais características do brasileiro para ela, o que faz com que o país tenha potencial para ser um berço dos estudos e da inovação científica. Mas destaca que é preciso mais investimento para que isto, de fato, ocorra:

– É curioso que, ao mesmo tempo que temos potencial para grandes descobertas e invenções revolucionárias, temos tão pouco ou nenhum incentivo. 

Para Helena, a negligência com a educação tem relação direta com redução do campo de trabalho e causa a fuga das mentes mais brilhantes: 

– Há vários cientistas brasileiros desenvolvendo projetos importantes no mundo todo, somos muito respeitados e bem vistos na comunidade científica internacional, menos na nossa própria casa.

A busca pela formação e a vontade de fazer parte da mudança do cenário científico no país também dividem espaço com a vida de adolescente, que gosta de passar o tempo com os amigos, ir ao cinema, fazer maratonas de seriados e comer uma boa pizza. Enquanto corre em busca de seus objetivos, Helena vive cada dia, um pouco na Terra, um pouco entre estrelas.


Fonte: Site do Jornal de Santa Catarina - http://jornaldesantacatarina.clicrbs.com.br

Comentário: O Blog BRAZILIAN SPACE parabeniza esta jovem de Blumenau pela intenção de aplicar no Brasil o conhecimento adquirido durante a sua formação, exercendo assim sua cidadania e responsabilidade para com seu país e o seu povo.  Quiçá fosse assim entre a maioria dos jovens que hoje frequentam as nossas universidades defendendo bandeiras deturpadas e atitudes egocêntricas que não ajudam em nada na criação de uma verdadeira nação. Ficaremos na torcida para que a jovem Helena Buschermöhle não se deixe contaminar por esses maus acadêmicos escolhendo o caminho certo, juntando-se assim a aqueles que realmente lutam por um país melhor, missão esta que creio seja facilitada para ela pela sua intenção de estudar fora do país, onde terá a oportunidade de compreender melhor o que é CIDADANIA. Isto é, caso venha estudar em uma universidade de um país onde a mesma seja exercida em sua plenitude.

VI Encontro de Ufologia Avançada de São Paulo

Olá leitor!

Será realizado nos dias 26 e 27 de agosto, na Casa do Consolador, na capital paulista, VI edição do Encontro de Ufologia Avançada de São Paulo. Evento este que reunirá alguns dos mais importantes ufólogos do país e ainda o astro de Alienígenas do Passado canadense Brien Foerster, que apresentará as recentes descobertas de esqueletos com crânios alongados no Peru e Bolívia, e o pesquisador peruano Anthony Choy, o mesmo que está à frente das investigações da múmia extraterrestre descoberta na Cordilheira dos Andes.

Venha conhecer estas últimas novidades da Ufologia Brasileira e Mundial. As inscrições já estão abertas, mas as vagas são limitadas. Garanta a sua o quanto antes.

Informações e inscrições aqui: www.ufo.com.br/sp

Duda Falcão

Parceria Entre AEB e Governo do DF Será Fortalecida Com Novos Projetos

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada ontem (17/08) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que Parceria entre a Agência e o Governo do Distrito Federal (DF) será fortalecida com novos projetos.

Duda Falcão

Parceria Entre AEB e Governo do DF
Será Fortalecida Com Novos Projetos

Coordenação de Comunicação Social – CCS
17/08/2017

Foto: Valdivino/Junior/CCS

Uma parceria firmada entre a Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTIC) e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI/DF), há quatro anos, culminou em levar o Programa Espacial Brasileiro aos alunos da rede pública e particular de ensino do Distrito Federal. As atividades são desenvolvidas no Planetário de Brasília, local onde a AEB mantém uma exposição de foguetes e satélites com a história do programa espacial.

Para dar continuidade e fortalecer essa parceria, o presidente da AEB, José Raimundo Braga, recebeu, na tarde de terça-feira (15.08), em seu gabinete, a visita do secretário de Estado, Ciência, Tecnologia e Inovação do DF, Tiago Coelho de Souza, que propôs o desenvolvimento de novos projetos a fim de ampliar mais ainda as atividades espaciais no Planetário, atraindo mais escolas e visitantes ao local.

Desde 2014, AEB mantém essa parceria com a SECTI/DF, a qual está vinculado o Planetário de Brasília. No local a AEB dispõe de maquetes de foguetes, traje espacial, exposição de alguns satélites já lançados ao espaço, além de uma réplica do Veículo de Sondagem Brasileiro VSB-30 instalada em frente ao Planetário.

O VSB-30 é um veículo suborbital de produção nacional desenvolvido em 2001. Seu primeiro voo ocorreu em 23 de outubro de 2004, no Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. O VSB-30 foi certificado pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), sendo seu primeiro lançamento em solo europeu. Hoje, o VSB-30 é utilizado por diversos países entre eles Alemanha e Suécia.

O secretário também teve a oportunidade de conhecer o projeto do Centro Vocacional Tecnológico (CVT-Espacial) será que futuramente inaugurado em Parnamirim, no Rio Grande do Norte, podendo esse projeto se estender para a capital da República e outros estados onde se concentram os projetos espaciais.

“Todos os esforços serão despendidos para que essa parceria se amplie e tenha muito sucesso”, afirmou José Raimundo. O Secretário Tiago Coelho saiu da reunião bastante otimista com a conversa e se prontificou a trabalhar para fortalecer a parceria.  Eles também trocaram ideias sobre a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2017, a ser realizada de 23 a 29 de outubro, no Pavilhão do Parque da Cidade, evento que acontece desde 2005.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Boa iniciativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI/DF) e do seu secretário, Tiago Coelho de Souza que, pelo visto, foi quem tomou a iniciativa. Afinal leitor esperar que esse vendedor de sanduiche levante-se de seu trono para realizar algo, é mesmo que acreditar em Bicho-Papão, ou até não, se é que você me entende. Isto só ocorre na verdade quando o mesmo sai passeando pelo mundo à custa do herbário publico e isto me faz questionar: Será que esse energúmeno se levantou para cumprimentar adequadamente o Secretário na chegada ao seu Gabinete????  Rsrsrsr. Outra coisa, a nota volta a citar o Centro Vocacional Tecnológico (CVT-Espacial) dizendo que futuramente inaugurado em Parnamirim. Futuramente quando, em 2030 ??? Falta comando galera, essa agencia de brinquedo é uma tremenda piada e infelizmente tem a frente um fantoche que é só útil ao sistema.

Parceria vai Permitir Abertura de Curso de Engenharia Aeroespacial na UFMA

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada ontem (17/08) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que uma Parceria entre o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) irá permitir abertura de Curso de Engenharia Aeroespacial na UFMA.

Duda Falcão

Parceria vai Permitir Abertura de Curso
de Engenharia Aeroespacial na UFMA

CLA
17/08/2017

Foto: CLA

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) firmaram na terça-feira (15.08) um acordo de cooperação acadêmica e técnica para a implantação do curso de graduação em Engenharia Aeroespacial na instituição de ensino superior maranhense.

Para o diretor do CLA, Coronel Luciano Valentim Rechiuti, a futura implantação do curso no Maranhão envolverá uma sinergia de experiências em prol do desenvolvimento do setor aeroespacial no país. “O principal objetivo é conseguir unir os conhecimentos que existem nas três instituições, ou seja, utilizar a experiência acadêmica do ITA e o conhecimento agregado na área espacial, o conhecimento operacional do Centro de Lançamento para que tudo isso possa ser utilizado pela UFMA. Desse modo o curso de graduação poderá trazer resultados não apenas para a UFMA, mas também para o Centro e para todo o país”, afirmou.

O acordo entre as Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT) estabelece contrapartidas e responsabilidades dos envolvidos e prevê o apoio acadêmico e técnico do ITA, explica o professor Anderson Correia, reitor da instituição de ensino superior do Comando da Aeronáutica (COMAER) subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). “Os técnicos do CLA ajudarão a propiciar um caráter profissional e os professores do ITA irão participar periodicamente do curso presencial ou a distância, além de recebermos alunos em São José dos Campos, no interior de São Paulo para períodos de estágios”, ressaltou o reitor.

No evento de assinatura do acordo, o diretor-geral do DCTA, tenente-brigadeiro do ar Carlos Augusto Amaral Oliveira relembrou o momento de criação do ITA e do DCTA ainda na década de 50 como um exemplo a ser seguido pelo estado do Maranhão como indutor para um polo científico-tecnológico ligado ao setor aeroespacial, como o que existe atualmente em São José dos Campos.

Os deputados federais José Reinaldo (PSB-MA) e Waldir Maranhão (PP-MA) destacaram a importância do acordo para o desenvolvimento do estado do Maranhão e do país em uma área estratégica que carece e demanda profissionais altamente qualificados, além da articulação de toda bancada maranhense na Câmara dos Deputados a fim de garantir os recursos. Por meio de emenda parlamentar proposta pela bancada do Maranhão devem ser disponibilizados inicialmente R$ 60 milhões para a implantação do curso de graduação na Universidade. O acordo entrará em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU) e terá prazo de vigência para os próximos cinco anos.

A assinatura do acordo ocorreu no CLA e contou com a presença dos deputados federais José Reinaldo e Waldir Maranhão, representantes da bancada maranhense na Câmara dos deputados, do tenente-brigadeiro do ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, diretor-geral do DCTA, dos dirigentes das três instituições envolvidas no acordo, além de integrantes do governo e legislativo estadual maranhense.

Engenharia Aeroespacial na UFMA – A expectativa é oferecer o curso de graduação aos alunos interessados a partir do vestibular de 2017.  O aluno que prestar vestibular para o Bacharelado Interdisciplinar de Ciência e Tecnologia, ao final de três anos fará a opção entre as engenharias que a universidade oferece.

A professora Nair Portela, reitora da UFMA ressalta que o aluno vai participar desse processo fazendo sua inscrição a partir do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no primeiro semestre de 2018. Ela destaca ainda que por meio da graduação é esperado fomentar a formação de recursos humanos de alta qualidade para o setor aeroespacial, disponibilizando a infraestrutura necessária, oferecendo a possibilidade de participação em pesquisas e serviços de lançamentos, rastreio de veículos espaciais e de coleta e processamento de dados de cargas úteis.

O curso será o único do Brasil na área com ênfase em centros de lançamentos, somente proporcionado por meio da interação entre a universidade e a organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB), responsável pelo lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Resultado de uma tremenda falta de visão, com mais de trinta anos de atraso e em um momento em que as atividades espaciais do pais agoniza na UTI. Isso deveria ter sido feito pouco após à inauguração da Base de Alcântara, isto lá no inicio dos anos 80, enfim... Como o ditado diz, antes tarde do que nunca.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Mais Rápido e Mais Alto: China Cria Novo Propulsor de Íons

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante notícia postada ontem (16/08) no site do “Sputniknews - Brasil”, destacando que a China criou um novo tipo de propulsor de íons para Propulsão Espacial.

Duda Falcão

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Mais Rápido e Mais Alto: China
Cria Novo Propulsor de Íons

Spuynik News Brasil
16.08.2017 – 11:27

CC0 / NASA/JPL-Caltech

Os cientistas do Instituto Tecnológico de Harbin modificaram o modelo do propulsor cilíndrico a efeito Hall, utilizado em veículos espaciais, onde o propelente é acelerado através de um campo elétrico.

"O modo mais prático de alterar a dinâmica do fluxo neutral no canal de descarga é a alteração do método de injeção de gás ou da morfologia geométrica do canal de descarga", explica Liqiu Wei, um dos autores do estudo publicado na revista Physics of Plasmas, citado pelo EurekaAlert.

Graças ao software Comsol, os especialistas selecionaram uma construção do bocal de injeção que garante a densidade e alta homogeneidade do gás no canal de descarga, o que, por sua parte, permitiu aumentar o empuxo.

Os resultados do experimento realizado pelos investigadores confirmam a teoria inicial. Em particular, o impulso específico do motor foi aumentado em uns 53,5% quando a tensão de descarga estava dentro do intervalo 100-200 volts.


Fonte: Site Sputniknews - http://br.sputniknews.com/

Comentário: Hummmm, pequena mas curiosa notícia leitor que creio seja do interesse dos grupos (INPE/UnB) que trabalham com Propulsão Iônica no Brasil.

Conheça o Novo Modelo de Governança do PEB Proposto Pelo MD/COMAER

Olá leitor!

Conheça pelo link abaixo a nova proposta do MD/COMAER para mudança do Modelo de Governança do nosso Patinho Feio (PEB), apresentada pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, durante a palhaçada (Audiência Pública) realizada ontem (16/08) na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado em Brasília.

Duda Falcão

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Comandante Sugere Novos Processos de Governança Para Área Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo a nota oficial da Aeronáutica publicada hoje (16/08) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), tendo como destaque a participação do Comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, na palhaçada (audiência pública) realizada hoje para debater o PEB na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado.

Duda Falcão

ESPAÇO

Comandante Sugere Novos Processos
de Governança Para Área Espacial

Tenente-Brigadeiro Rossato apresentou diagnóstico da
área espacial e proposta de desenvolvimento do setor

Por Tem. Gabrielli Dala Vechia,
Agência Força Aérea
Publicado: 16/08/2017 - 17:00h

Audiência pública aconteceu na manhã desta quarta-feira.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, esteve no Senado Federal nesta quarta-feira (16/08), para falar sobre o andamento dos projetos espaciais no Brasil. Ele foi convidado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, presidida pelo Senador Otto Alencar (PSD-BA).

Segundo o Tenente-Brigadeiro Rossato, investimentos na área estão relacionados a ganhos sociais e econômicos para o País, já que soluções espaciais trazem benefícios como: mais ferramentas para segurança pública, vigilância de fronteiras, defesa de recursos naturais, integração do Brasil por meio da conexão em banda larga, reconhecimento da malha urbana e para tomada de decisões em grandes desastres naturais.

Além disso, o potencial brasileiro - principalmente no que se refere a centros de lançamento - pode gerar recursos ao País. O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, devido à sua privilegiada posição geográfica, permite uma economia de 30% de combustível em lançamentos - sendo mais vantajoso que o Centro Espacial de Kourou na Guiana Francesa, por exemplo. "O mercado mundial no setor espacial está estimado em U$ 342 bilhões, o que dá mais de R$ 1 trilhão. Ninguém investiria esses valores se a área não tivesse importância estratégica", disse o Comandante da Aeronáutica.

Porém, para ele, os resultados dos esforços brasileiros no desenvolvimento espacial estão aquém das ambições e expectativas do País e, também, levando-se em consideração o cenário internacional. A Índia, membro do BRICS, iniciou seus investimentos na área espacial em uma época próxima a do Brasil, na década de 1960, e fez da área uma prioridade de governo. Até hoje, já lançou 48 satélites próprios e mais de cem de clientes internacionais. Com o mesmo investimento anual da Índia - 1,2 bilhão de dólares - a Argentina lançou dois satélites geoestacionários, está finalizando um satélite SAR (Synthetic aperture radar) e prevê, para 2019, apresentar seu próprio lançador. Para a Índia, o valor investido corresponde a 0,06% do PIB; para a Argentina, 0,20%.

No Brasil, o investimento está em torno de U$ 100 milhões (0,006% do PIB). Entretanto, segundo avalia o Tenente-Brigadeiro Rossato, a inconstância orçamentária é só um dos fatores que prejudicam o desenvolvimento espacial. "São várias as razões para que o nosso programa não decole. Falta gestão estratégica; o modelo de governança não está adequado. Há outros desafios, como a necessidade de desenvolvimento tecnológico próprio e uma grande quantidade de projetos sendo conduzidos em paralelo; é preciso priorizar. "Nessa área ninguém ensina ninguém, temos que desenvolver sozinhos. Há riscos na área espacial que precisamos correr", explica o Comandante.

A proposta da Aeronáutica para fomento no setor é a adoção de novos processos de governança, com a criação de um comitê executivo de espaço - para decidir orçamento, prioridades, acordos internacionais - e um conselho nacional de espaço, como estrutura executiva.

Segundo o Senador Otto Alencar, as dificuldades de execução orçamentárias são quase um problema crônico no Brasil e destacou o papel dos parlamentares para assegurarem os recursos necessários à questão espacial. Ele também destacou a importância do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) que já funciona para comunicações militares seguras. "Vamos trabalhar para que a Força Aérea tenha as condições de desenvolvimento tecnológico condizentes com o Brasil", afirmou.

Veja mais detalhes sobre a audiência pública no vídeo:



Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Pesquisador do IEAV Tem Três Artigos Entre os Mais Citados da Optics Letters

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada hoje (16/08) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que pesquisador do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) tem três artigos entre os mais citados dos 40 anos do periódico Optics Letters.

Duda Falcão

NANOFOTÔNICA

Pesquisador do IEAV Tem Três Artigos
Entre os Mais Citados da Optics Letters

Os artigos são da área de óptica e fotônica

Por Tenente João Elias,
Fonte: IEAv
Edição: Agência Força Aérea
Publicado: 16/08/2017 - 15:42h


O Coronel Aviador da Reserva Vilson Rosa de Almeida, ex- Diretor e atual colaborador do Instituto de Estudos Avançados (IEAV) e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), teve três artigos entre os 100 mais citados dos 40 anos do periódico Optics Letters, publicação especializada na área de óptica e fotônica. Entre os mais de 100 mil artigos da revista, os artigos do Coronel Vilson obtiveram as posições 16ª, 60ª e 80ª. A divulgação foi feita no início do mês pela Optics Society of America (OSA).

“Isso representa um reconhecimento internacional da relevância do trabalho por significativa contribuição acadêmica, científica e tecnológica”, comemora o Coronel Vilson.

Um artigo tem como título “Guiding and confining light in void nanostructure”; outro é intitulado “Nanotaper for compact mode conversion”; e o terceiro, “Experimental demonstration of guiding and confining light in nanometer-size low-refractive-index material”. Os três estão dentro da área de óptica e fotônica, cada um sobre um tópico específico.

“Os artigos são mais relacionados com a nanofotônica que tem a ver com colocar diversas propriedades de processamento fotônico dentro de chips que, em breve, vão ser comercializados em larga escala. No contexto aeroespacial, isso está relacionado com a redução de potência, peso e dimensões. Por exemplo, para se lançar algum artefato ao espaço, esses três fatores são muito relevantes”, explica o Coronel.

Outros dois brasileiros também foram citados na lista: o Diretor-Científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Carlos Henrique Brito Cruz, que teve um artigo citado na oposição 31ª; e o professor Walter Margulius, citado na posição 61ª.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

PEB Foi Debatido Esta Manhã na Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado

Olá leitor!

Como informamos ontem (15/08) foi realizada esta manhã (a partir das 08:30) na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado mais uma dessas palhaçadas intitulada de audiência publica para debater o Programa Espacial Brasileiro (PEB).

O pedido para o debate foi do meu conterrâneo Senador Otto Alencar (PSD-BA) e contou a participação do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato.

Caso você seja um leitor ainda com saco para ouvir em pouco mais de 1h30 minutos o que foi debatido neste evento, veja abaixo o vídeo produzido pela TV Senado desta nova palhaçada protagonizada por esses vermes.

Duda Falcão

INPE Participa de Cruzeiro Científico na Costa Amazônica

Caro leitor!

Segue agora abaixo leitor uma notícia postada hoje (16/08) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que instituto participa de Cruzeiro Científico na Costa Amazônica.

Duda Falcão

INPE Participa de Cruzeiro
Científico na Costa Amazônica

Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

Dados geofísicos, físico-químicos, biológicos e radiométricos sobre a região do recém-descrito sistema recifal da Foz do Amazonas foram obtidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e outras instituições brasileiras (UFRJ, UFES, UNIFESP, UFRRJ, INPE e JBRJ), em parceria com o Woods Hole Ocenographic Institution (EUA).

Concluído na semana passada, o cruzeiro completou 15 dias de atividades a bordo do navio oceanográfico Alucia, que percorreu mais de quatro mil quilômetros pela margem equatorial brasileira, entre o Amapá e o Maranhão.

"O mapeamento e a caracterização oceanográfica da costa amazônica são fundamentais para o gerenciamento ambiental e dos recursos marinhos. Ter a oportunidade de coletar dados in-situ para a validação de produtos de sensoriamento remoto é muito relevante”, declara Milton Kampel, pesquisador do INPE.

Durante a expedição, foram realizadas mais de 20 horas de observações a bordo de dois submersíveis, em profundidades de até 400 metros.

Dentre os principais resultados desse esforço está a caracterização de vales e cânions ainda não mapeados, registros de esponjas e peixes até então desconhecidos na região, estudos do plâncton associado à mistura das águas do mar e do maior rio do planeta, imageamento das bioconstruções carbonáticas e algas calcáreas, e caracterização bio-óptica da região.

As atividades foram complementadas por imagens de satélites enviadas pelo INPE e recebidas no navio em tempo real. Os resultados, ainda inéditos, fornecerão um panorama detalhado sobre a estrutura dos recifes e das comunidades biológicas a eles associadas.

De acordo com Rodrigo Moura, professor da UFRJ e coordenador da expedição, “os dados obtidos alteram significativamente a visão que tínhamos sobre a Margem Equatorial e trarão elementos importantes para subsidiar medidas para sua conservação e manejo”.

Submersível pronto para o mergulho.
Resgate noturno de submersível.
Coleta de água na pluma do Amazonas.
Navio Alucia na foz do Amazonas.
Análises biológicas e físico-químicas a bordo do navio.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Jovem de Itajubá-MG Descobre Suposto Meteorito e Solicita Ajuda de Um Especialista da Área

Olá leitor!

Alguns dias atrás, enquanto estava afastado de minhas atividades no Blog devido ao acidente, foi procurado por um jovem de Itajubá-MG, Bruno Guimaraes Tavares, de 26 anos, solicitando que o ajudasse a identificar a origem de uma pedra encontrada recentemente por ele que ele acredita ser um meteorito, coisa que só poderei fazer com ajuda de um leitor do Blog especialista na área.

Segundo Bruno dias atrás ele e alguns amigos foram nadar em uma cachoeira próxima de Itajubá, e enquanto brincavam de pega a pega, o Bruno encontrou um buraco de 1 metro e meio e dentro dele o suposto meteorito que brilhava muito com a luz do sol sobre ele.

Ainda segundo Bruno, a pedra não é radioativa e não atua como um imã, ou seja, não contem ferro e em sua opinião não é minério.

O jovem mineiro solicita que algum especialista se interesse pelo caso e o procure pelo e-mail: tavaresbruno229@gmail.com

Veja abaixo algumas fotos do suposto meteorito enviadas o Blog pelo jovem Bruno.

Duda Falcão

CRA do INPE Sediou Curso de Software Livre do IBGE

Olá leitor!

Segue agora abaixo uma notícia postada ontem (15/08) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o Centro Regional da Amazônia (CRA) do instituto sediou de 07 a 11 de agosto Curso de Software Livre do IBGE.

Duda Falcão

CRA Sedia Curso de Software Livre do IBGE

Terça-feira, 15 de Agosto de 2017

De 7 a 11 de agosto, o Centro Regional da Amazônia (CRA) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em Belém (PA), sediou o Curso de Aplicação aos Softwares PostGIS e QGIS, por demanda do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os participantes estiveram nas instalações do CRA que dispõe de infraestrutura avançada para capacitações no âmbito de geotecnologias.

O curso foi um complemento a outro ocorrido em julho passado, quando os profissionais do IBGE receberam capacitação do CRA/INPE para realizar o “mapeamento do desflorestamento e do uso e cobertura da terra”. A primeira capacitação nivelou o conhecimento dos participantes acerca das metodologias dos projetos de monitoramento do INPE e os treinou para o uso do software TerraAmazon, programa desenvolvido pela Divisão de Processamento de Imagens (DPI), ligada à Coordenação de Observação da Terra (OBT/INPE), em parceria com a Fundação de Ciências, Aplicações e Tecnologia Espaciais (FUNCATE).

“O curso anterior oferecido pelo INPE ao IBGE foi excelente, porque os instrutores mostraram várias aplicações do TerraAmazon, que são possíveis de serem adaptadas à realidade do trabalho que fazemos, principalmente com relação à banco de dados e processamento de imagens”, conta o supervisor de Geodésia e Cartografia da unidade regional do IBGE em Belém, Ademir de Jesus.

Neste segundo momento o CRA/INPE ofereceu seu espaço ao instituto parceiro e o IBGE trouxe do Rio de Janeiro dois especialistas da sua Coordenação de Cartografia. Nos dias 7 a 9, o instrutor Alex Santos trabalhou com os participantes a Introdução ao ambiente de Sistema de Informação Geográfica Quantum GIS e, em seguida, o também instrutor Marcel Rotunno apresentou a Integração do PostGIS com o QGIS.

“Atualmente no IBGE nós temos utilizado o banco de dados PostGIS como banco de dados corporativo. Esse curso agora permite que as unidades regionais, como a de Belém aqui no Pará, desenvolvam suas atividades de uma forma integrada ao banco corporativo, facilitando também a distribuição de atividades”, explicou o engenheiro Alex Santos.

Assim como o TerraAmazon, desenvolvido pelo INPE, o QGIS é um software livre, ou seja, aberto para toda comunidade científica. As pessoas podem utilizar, compartilhar e também desenvolver funcionalidades para melhorar o programa.

“Devido a restrições orçamentárias, softwares comerciais de custo elevado estão sendo substituídos em algumas atividades por softwares livres, que constantemente estão avançando em suas aplicações”, completou o participante Ademir de Jesus.

O curso teve 22 participantes da unidade regional do IBGE em Belém, das supervisões de Cartografia, Recursos Naturais e Base Territorial – esta última é a responsável pelo Censo - além da participação de dois profissionais do CRA.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)